É pique, é piquei! E claro que na onda de comemorar os 50 anos do álbum que é considerado um marco na história do rock temos sim o lançamento de edições comemorativas! Dá pra baixar o álbum original remixado com 34 faixas inéditas, entre versões alternativas e remixes. Você pode comprar kits de CD com 31 músicas, e até arrematar um LP duplo com 26 faixas. Mas para quem tem paixão, e grana, o negócio é o kit com vinil, CDs, Blu-ray com o documentário The Making of Sgt. Pepper, de 1992, e um livro de 144 páginas que inclui textos de Paul McCartney. Quanto? US$ 150 dólares ( fora a graninha do frete e o imposto)

Pode postar a preferida?

E a segunda preferida? No primeiro take da gravação <3

E a terceira? ( tenho que dizer que para esta faixa eu prefiro a versão do Joe Cocker)

A capa do disco é emblemática, concebida pelos artista Peter Blake e Jann Haworth, partiu de uma ideia original de Paul MCartney, que pediu que cada Beatle fizesse uma lista de personalidades que consideravam relevantes. Inicialmente foram 70 nomes, mas devido a polêmica 3 foram retirados: Jesus, Gandhi e Hitler.

Na época, também existiu um lance de acharem que Paul estava morto… A capa do disco daria a dica, e seria um funeral para o falecido Beatle. As flores amarelas remeteriam ao formato do instrumento do músico, o baixo Hoffman modelo violino, virado para a esquerda, pois Paul era canhoto.

As quatro figuras de cera dos Beatles, representadas na foto estariam tristes e olhando para o suposto túmulo, enquanto Paul, não. Ele também é o único que tem em mãos um instrumento não metálico, de madeira negra…. Preto, como a morte. Viagem! O cara estava vivinho da silva!

O álbum, lançado assim, cheio, sem singles, estreou na Inglaterra indo de cara para o topo do chart de mais vendidos. Ali ficou por 22 semanas. Apenas na primeira, vendeu 250 mil cópias por lá. Até o final do ano de 1967, chegou a 3 milhões. Hoje, são cerca de 33 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo.

 

Aquele cineminha? Tem comédia romântica brasileira, filme novo de Charlie Hunnam e drama de amor pós guerra Anitta não cansa de quebrar a internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.