Ontem, o ator Marcelo Serrado puxou pelas redes sociais manifestação seguida por outros como Carolina Dieckmann e Paulinho Vilhena. Em post com foto de Fábio Assunção, questionaram:

“Além de figura pública, apresento a vocês um ser humano portador de uma doença chamada dependência química. Alguém faz piada com atores que têm câncer?”

A manifestação acontece depois de se observar nas ruas de São Paulo e Rio de Janeiro muitos foliões já no pré Carnaval usando máscaras com a imagem do ator. O pedido é de que as pessoas parem de fazer piadas com a doença de Fábio Assunção, que é dependente químico.

A atriz Carolina Dieckman disse no stories:

“Bora tomar cuidado para que a nossa alegria no Carnaval não seja um motivo de tristeza para alguém. Temos muito para aprender. Boa folia e mais, muito mais amor”.

Mariana Rios e Klebber Toledo também se manifestaram. Mariana escreveu:

“Respeito é o ato de não fazer aos outros o que jamais gostaríamos que fizessem com a gente.
É dar espaço para que os outros expressem suas opiniões, sem discriminação ou punições…
É não maltratar, humilhar ou espezinhar as pessoas, simplesmente porque nos consideramos certos ou melhores…”

RELEMBRE:

Em 2017, o ator Fábio Assunção, que já havia falado publicamente sobre sua dependência química, foi preso em flagrante sob acusação de desacato a autoridade, resistência e dano a patrimônio público. Um vídeo circulou na internet mostrando o estado do ator.

Em seu Instagram, o ator escreveu:

“Lamento muitíssimo o ocorrido em Arcoverde. Era uma noite de celebração. Tínhamos acabado de exibir nosso documentário filmado no sertão pernambucano no palco principal do festival de São João. Então fomos com a equipe confraternizar e a situação saiu do controle. Infelizmente aconteceu uma briga. Errei ao me exceder. Não fiz uso de nenhuma droga ilícita – o que será comprovado pelo exame toxicológico que eu mesmo pedi para ser feito. Serei responsável pelos danos causados. Agora estou bem. Agradeço pelas tantas manifestações de carinho e apoio que recebi. Peço a todos sinceras desculpas. Não é fácil, mas reconhecer meus erros e procurar sempre aprender com eles é o que eu desejo”

O ator foi preso, pagou fiança e foi liberado após a audiência de custódia. Em maio do 2018, Fábio foi detido mais uma vez, por causar um acidente ao dirigir embriagado em São Paulo. Um vídeo que circulou mostrava o ator, de barba longa e grisalha, alterado, pouco antes de ser detido. Teve a carteira de motorista suspensa e pagou fiança no valor de 48 mil reais:

Muitos entendem o drama vivido pelo ator O vício não é brincadeira, atinge à todos da mesma forma. Prejudica a pessoa e os que a cercam. É uma luta constante. Outros fizeram troça de todo o drama, e Fábio virou uma espécie de meme do loucão.

Em julho de 2018, o youtuber Gabriel Bartz lançou uma faixa chamada Fábio Assunção, falando sobre uma noitada em que vai beber, ficar loucão e não vai voltar pra casa não ( só se for no camburão), ele diz: “Hoje eu vou virar o Fábio Assunção”. O clipe tem mais de 1 milhão e 300 mil views no Youtube.

A banda La Furia lançou então uma outra versão da mesma música, em agosto. São mais de dois milhões de views:

Como bem se pode imaginar Fábio não achou graça no meme, na glamourização de um problema sério, sofrido por ele por tantas outras pessoas. Ontem, o ator contou que fez um acordo com a banda para destinar todo o dinheiro da música para instituições que tratam de dependentes químicos.

“Oi, gente… Eu não pretendia tornar esse assunto público por vários motivos, mas a imprensa resolveu comentar e os meninos foram bem generosos fazendo o vídeo deles, explicando nosso acordo sobre a música Fábio Assunção. Antes de qualquer coisa eu preciso falar com as pessoas que passam pelo mesmo problema que eu. Eu não endosso, de maneira nenhuma, essa glamourização ou zoeira com a nossa dor. Minha preocupação é com quem sente na pele a dor de ser quem é, com as suas famílias.

Para, além disso, eu quero dizer que jamais me passou pela cabeça censurar a criatividade das pessoas, quando vi a tal zoeira tomar proporções gigantescas como a música. Mas entre não censurar e deixar de conscientizar, existe um abismo que não me conforta. 15% das pessoas do mundo tem problemas de adicção. É muita gente sofrendo por não conseguir controlar suas compulsões e eu acho importante lembrar a todos que isso não tá escrito na certidão de nascimento. Todo mundo começa do mesmo jeito. Achando que tudo bem. E pode não terminar tudo bem.

Foi pensando nisso que eu, minha equipe de comunicação e o corpo jurídico que me atende, decidimos entrar em contato com os meninos e tornar essa história um ato propositivo de ajuda a quem precisa e de conscientização de quem pode ainda acreditar ser um super herói. 100% dos valores arrecadados com a música serão doados para as instituições A e B como um ato irmanado entre quem sente essa dor e quem tem voz para ampliar a conscientização das pessoas.

Nós não somos super heróis. Cuide de você, cuide de quem você ama, cuide dos seus amigos nas festas. Seja responsável. Olhe pro outro e pra você, e se estiverem passando dos limites, ativem o modo! Lembrem que o Fabão aqui respeita a zoeira, ama a brincadeira, mas quer vocês bem e vivos! Fortes, felizes e conscientes de seus atos e de suas vidas.”.

No fim de fevereiro, um vídeo em que o ator aparece aparentemente embriagado e fumado dentro de um supermercado viralizou nas redes sociais. A jornalista Fabíola Reipert também reportou que o ator teria discutido com a empresária Lilian Gonçalves, dona da Rede Biroska. A assessoria de imprensa da proprietária do bar não confirmou a briga. O ator e seu advogado não se manifestaram sobre o assunto.

Oscar: Quem ganhou o que José de Abreu, o presidente do Brasil

One thought on “Máscara de carnaval do Fábio Assunção não é piada”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.