A cantora IZA se emocionou no quadro Arquivo Confidencial deste domingo, no programa do Faustão. Ali, recebeu o pedido de desculpas do pai, Djalma Leite Lima, que falou do tempo que ficou afastado da filha e “por qualquer coisa que possa ter dito”. IZA falou mais

“Agradeço meu pai por toda influencia, esforço, dedicação. Meus pais se separaram na semana que eu larguei meu emprego. A situação financeira mudou toda. Fiquei magoada com esse processo e dois anos sem ver meu pai. Fico muito grata por isso e receber essa mensagem foi um carinho para o meu coração.”

“É sempre duro passar por uma separação. Foi um processo necessário não só para os meus pais, mas para todos nós. Quando a gente ama alguém, a gente erra tentando acertar”.

“Obrigada por toda generosidade e humildade para falar isso para tanta gente. Você não precisa pedir desculpas por nada (…) Eu acho que a gente não tem que viver com rancor. Hoje, eu sou casada, e consigo entender melhor. Fico feliz em dizer que as coisas estão no lugar e estamos juntos”

Aproveitou para falar sobre preconceito e refletir sobre representatividade:

“Quantas vezes a gente não é cantada no caminho do trabalho e a gente tá nessa sempre, passando por coisas e por conta da minha profissão, hoje, a questão do assédio, do preconceito, do racismo fica velada, ela não some”

“As pessoas têm aquele receio de se expressarem da forma que elas gostariam de se expressar, mas isso que aconteceu comigo não significa que o racismo acabou, por eu estar numa capa de revista, na TV, isso significa que estamos caminhando, mas que temos muita coisa pra fazer“

“Eu quando era criança queria muito me ver na TV e hoje eu vejo muito mais de mim nos lugares e isso é importante, assim, isso é a história da representatividade. A gente precisa se ver nos lugares pra saber que a gente pode estar onde quiser estar e isso tá mudando”.

IZA também falou de meritocracia:

“Existe uma questão que foi muito imposta a nós. Quando a gente fala de Meritocracia eu fico muito chateada, porque os caminhos e as oportunidades nunca foram as mesmas.“

“Existe uma lacuna social de oportunidades e de preenchimento de vagas que é muito grande, sabe”, desabafou a cantora, que aproveitou para fazer um apelo. “É até bom deixar um apelo pra pessoas que contratam, que recrutam funcionários pras empresas, que vocês olhem para nós e não só nós, para todos, como pessoas capazes de fazer qualquer coisa.”

“Eu acho que precisa encerrar com esse crivo de quem pode estar aqui, a gente precisa mudar isso o quanto antes”

 

Novas regras para terapias hormonais e cirurgias de afirmação de sexo A Parada do Orgulho LGBT de São Paulo terá Democracia como tema para 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.