Começando por Simonal, nacional que deve despertar a curiosidade do brasileiro quena tela grande verá Fabrício Boliveira na pele de Wilson Simonal. O artista, considerado dono de uma das maiores vozes da música brasileira acabou condenado ao ostracismo após ser apontado como delator no período da ditadura militar. Caco Ciocler está no elenco e interpreta um agente do DOPS, Isis Valverde é Tereza, mulher com quem ele se relaciona e também está no filme Leandro Hassum, como Carlos Imperial. 

A produção contou com certa participação dos filhos do artista ( Wilson Simonina, Max de Castro e Patricia Simonal ), mas não o transforma em santo, mirando em apagar exatamente a história de delator. Os números musicais da produção usam gravações em áudio do próprio Simonal, e também são mostradas imagens do cantor em shows e na televisão.

Se quiser saber mais sobre a vida de Simonal, procure também pelo o documentário Simonal – Ninguém Sabe o Duro Que Dei, de Cláudio Manoel (Casseta e Planeta), Micael Langer e Calvito Leal. Vocês também podem recorrer à biografia Nem Vem Que Não Tem – A Vida e o Veneno de Wilson Simonal, do jornalista Ricardo Alexandre.

Terrorzinho? E esse vem com uma assinatura importante: o vencedor do Oscar Guillermo del Toro, que roteiriza e produz o filme, uma adaptação da série literária homônima de Alvin Schwartz. O diretor é André Ovredal, de A Autópsia (2016). Basicamente temos um grupo de adolescentes que encontra um livro cheio de histórias macabras, dentro de uma casa mal assombrada… Claro que sofrerão as consequências de se meter com isso…

Fechando com uma produção israelense que trata de assédio no ambiente de trabalho. Não Mexa Com Ela conta história de Orna (Liron Ben Shlush) que é uma mulher casada, mãe de três crianças pequenas. O marido passa por dificuldades financeiras e ela consegue um emprego no qual cresce por sua competência. A mulher pena para conciliar a vida profissional e pessoal, ao mesmo tempo em que passa a ser vítima de assédio sexual crescente de seu chefe.

 

 

Toni Morrison, a primeira negra a receber o Nobel de literatura 13 anos da Lei Maria da Pena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.