Um dos games de maior sucesso da história ganha sua versão cinematográfica pela mãos do filho de David Bowie. Duncan Jones dedicou mais de 3 anos de sua vida ao projeto Warcraft: o Primeiro Encontro de Dois Mundos, que estreia hoje nos cinemas brasileiros.

Já faz tempo que a franquia não é só um game. Com a primeira versão lançada ha 20 anos ( Orcs vs Humans), o universo de Warcraft se desdobrou em livros e quadrinhos. Não sou de mentir por aqui, e por isso confesso: nunca joguei. Não tenho a menor ideia do que se trata. Talvez  por isso me sinta bastante a vontade de literalmente copiar e colar a sinopse:

Warcraft, filme baseado no universo do game World of Warcraft, acompanha o conflito gerado pelo primeiro contato entre orcs e humanos, mostrando os dois lados da história. De um lado está Anduin Lothar (Travis Fimmel), o personagem principal da Aliança, que sacrificou tudo para manter salvo o povo de Azeroth, e do outro Durotan (Toby Kebbel), o principal personagem da Horda, nobre chefe do clã Frostwolf, que batalha para salvar seu povo e sua família da extinção.

Se eu quero ver este filme? Muito provavelmente não. Se vai ser um sucesso? Os críticos se dividem em reconhecer que a produção fez bem o seu papel de levar o universo vasto e cultuado do game, e entender que talvez o grande púbçico ( eu, que nunca joguei) encontre alguma dificuldade em se apegar à história e aos personagens.

Meu balanço positivo em relação ao filme foi “conhecer” Duncan Jones. Assisti as entrevistas com o diretor e ele é simplesmente uma pessoa incrível. simpático, solícito, acredita no seu trabalho e tem uma trajetória gamer que justifica abraçar Warcraft. a filmografia do cara inclui o ótimo Lunar:


Que me parece ser uma boa versão de Perdido em Marte ( vocês sabem que eu considero esse filme uma espécie de piada).  Por esta produção, em 2010, o cineasta ganhou o BAFTA de melhor diretor revelação. Vejam o discurso emocionado, e tentem não gostar dele. Impossível.

Outro filme interessante de Duncan é Contra o Tempo, lançado em 2013. Também na área da ficção científica, o drama é uma espécie de Minority Report (2002) … O que nos faz atentar para os autores que influenciaram toda uma geração ( inclusive Duncan) apaixonada pelo gênero, como o autor do conto homônimo  Philip K. Dick . Desta vez, elenco poderoso, com  Jake Gyllenhaal, Michelle Monaghan, Vera Farmiga e Jeffrey Wright.

Filho de David Bowie

Em algumas entrevistas, Jonas Duncan falou sobre o pai. Contou tê-lo visto em Labirinto – A Magia do TempoAbsolute Beginners, e ainda revelou ter assistido com Bowie, aos 8 anos, o filme Laranja Mecânica. Duncan teve tempo de mostrar o primeiro corte do filme ao seu pai, que morreu em janeiro deste ano.

O Começo da Vida na Netflix As vozes do Waze e o filme do Porta dos Fundos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.