Começando com uma série? Produção nacional da HBO, de 2006,que trata da relação entre o jogo do bicho e o carnaval no Rio de Janeiro. Filhos do Carnaval tem criação de Cao Hamburger (O Ano Em Que Meus Pais Saíram de Férias) e Elena Soarez (Casa de Areia e O Mecanismo) ,além da contribuição no roteiro de Anna Muylaert (Que Horas Ela Volta). A trama parte da saga da família do poderoso Anésio Gebara, interpretado por Jece Valadão, dono de uma escola de samba e banqueiro do jogo do bicho.Logo no início da trama, Anesinho ( Felipe Camargo), braço direito do pai, se suicida. A partir daí, os outros filhos começam a disputar a vaga deixada pelo irmão falecido. Os filhos são Claudinho (Enrique Diaz), Brown (Rodrigo dos Santos) e Nilo (Thogun). A série foi inspirada na vida de Castor de Andrade, amigo de Jece Valadão, e que era patrono da escola de samba Mocidade Independente de Padre Miguel e do Bangu Atlético Clube.

São duas as temporadas, a primeira com 6 e a segunda com sete episódios.

Um filme? Orfeu Negro foi inspirado na peça de Vinicius de MoraesOrfeu da Conceição, misturando mitologia grega com a vida de moradores de uma comunidade do Rio de Janeiro e encenada por um elenco de 45 atores, todos negros.
Dirigido pelo francês Marcel Camus a coprodução ítalo-franco-brasileiro é de 1959, e conta com trilha sonora de Tom Jobim e Luís Bonfá. Repare que não estamos falando da refilmagem que aconteceu em 1999, sob o nome Orfeu.

A história é de Eurídice, que vem fugida do sertão nordestino para morar na favela com sua prima Serafina. Ela se apaixona por Orfeu, que é noivo de  Mira. O amor é correspondido e perturbado não só pela ex, como também por um homem que persegue Eurídice. A história de amor se passa no carnaval, e apesar de bela não reserva um final feliz.

O filme recebeu a Palma de Ouro no Festival de Cannes de 1959, e também foi vencedor do Oscar na categoria de melhor filme em língua estrangeira em 1960, mas como o diretor é francês, não computou para o Brasil. No mesmo ano, levou também o Globo de Ouro 1960 na categoria de melhor filme estrangeiro e foi indicado ao BAFTA, em 1961, na categoria de melhor filme em língua estrangeira.

Outro fator interessante: os protagonistas do filme foram escolhidos través de um concurso impulsionado pelo O GLOBO. Mais de mil jovens negros se inscreveram, e Breno Mello, ex-jogador do Fluminense, acabou escolhido como protagonista, depois de descoberto por um assistente do diretor quando livrou um pedestre de um assalto na Praia do Flamengo. Eurídice veio de Londres, uma bailarina chamada Gypsy Marpessa, e que depois adotou o nome artístico de Marpessa Dawn.

E fechando as 3 dicas, um livro. Uma História do Samba – Vol 1, de Lira Neto. O autor da trilogia biográfica de Getúlio Vargas se lança no desafio de contar a história do samba urbano incorporando à sua narrativa documentos inéditos e registros fotográficos. Em seu primeiro volume, editado pela Companhia das Letras em 2017, as origens do samba até o desfile inicial das escolas de samba no Rio. Partindo do nascimento do samba carioca, no início do século XX, passando pelos carnavais de rua, e convergindo com o avanço do mercado fonográfico e das rádios. nas décadas de 1920 e 1930, até a fundação das escolas de samba. alguns personagens são retratados nesse volume, Lalu de Ouro ( desfile dos ranchos no Rio de Janeiro e mestre sala), Zé Espinguela, Caninha ( sambista), Senhor ( primeiro grande marqueteiro do samba, que já registrava seus sambas e dizia que samba é igual passarinho. é de quem pegar primeiro) e claro que Pixinguinha entre outros.

José de Abreu, o presidente do Brasil Cineminha? Terrorzinho, suspense em uma ilha e filme de Maisa Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.