Uma jovem pesquisadora do sul do Brasil criou um projeto que consiste no reaproveitamento dos resíduos do processo da macadâmia, que seriam usualmente descartados. Com a ideia, Juliana Davoglio Estradioto transforma esses restos de material em um conteúdo orgânico que pode virar itens como embalagens e um tipo de curativo médico. A criação é sustentável, uma vez que dispensa o uso de embalagens e curativos feitos de materiais como plástico e papel, por exemplo, e ainda colabora para evitar o desperdício e a geração excessiva de resíduos.

Juliana foi tão bem sucedida em sua ideia que o projeto venceu a edição mais recente da International Science and Engineering Fair, conhecida como Intel Isef, realizada em maio deste ano. O evento elege os melhores projetos de ciência e engenharia de jovens pré-universitários. Concorrem estudantes do mundo todo, da faixa etária entre 15 e 19 anos. O prêmio é uma quantia em dinheiro no valor de três mil dólares e o direito de batizar um asteroide com seu próprio sobrenome – Juliana ainda não escolheu qual dos dois, Davoglio ou Estradioto, irá utilizar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *