A logística reversa, também chamada de logística inversa, consiste no retorno de materiais já utilizados para o processo seletivo, tendo como objetivo principal seu reaproveitamento ou, então, seu descarte adequado. A preservação ambiental é o que move essa ideia.

A prática é voltada para grandes empresas – fabricantes de produtos que devem se responsabilizar pela destinação final dos mesmos. Enquanto a logística comum é um conjunto de estratégias que visa produzir e entregar os produtos da forma mais barata e ágil o possível para lojas e consumidores, a logística reversa reúne as ações que vão recolher esses produtos utilizados – também de maneira barata e ágil.

Os esforços em prol da logística reversa devem partir dos fabricantes, transportadoras, lojas, marcas e consumidores, sendo cada um responsável por fazer sua parte. O público final, por exemplo, deve retornar seus objetos à loja. Esta, por sua vez, deve estar alinhada junto da marca para receber esses materiais. Entre os exemplos de práticas que configuram logística reversa está a reciclagem de itens como garrafas PET, eletrônicos, pilhas e óleo e ainda a devolução de correspondências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *