Ontem eu publiquei nas minhas redes sociais o primeiro vídeo de uma série que eu gravei sobre um tema muito importante, que tenho visto ganhar cada vez mais influência na sexualidade: a pornografia.

E eu sei que já falei sobre o assunto aqui, sobre “não copiar o sexo dos filmes pornôs“, mas te convido a acompanhar as postagens por lá também. Quero propor, como sempre, uma conversa muito clara, que ajude a quebrar os tabus e aborde os pontos mais delicados de uma forma instrutiva.

A ideia é mostrar como a pornografia acaba, muitas vezes, sendo responsável pelo (des)aprendizado da educação sexual, já que faltam canais e incentivos para levar essas informações de maneira adequeda para toda a população.

Mesmo que você não seja consumidor do conteúdo pornô – e não há problema algum em ser, é possível que já tenha ouvido sobre essas “verdades” criadas a partir dos filmes em uma mesa de bar, ou em conversas despretensiosas com amigos.

Esses mitos geram buscas por desempenhos e performances irreais, que por consequência geram decepções e frustrações, podendo inclusive se tornar causa de disfunções sexuais.

Vamos debater e desmisticar a pornografia juntos?

 

paulanapolitano

Psicóloga clínica, pós graduada em Terapia Sexual e em Terapia Cognitivo Comportamental. Também é autora do livro "Sexplicando: sexualidade sem mitos e tabus".