Por Vivi Pettersen

Desde o dia 22 de junho, o Sol ilumina o signo de Câncer. Isso significa um mês onde as emoções nos encontram, independentemente da nossa configuração astral – ou seja, independente do seu signo, você muito provavelmente está chorando pelos cantos ou pelo travesseiro. É um período onde os sentimentos se afloram, a gente chora mais, pensa mais no passado, sente um profundo pesar pelas coisas – alias, tudo ganha um peso, que para alguns, fica dificil de carregar.

Mas, será que é tudo culpa do bendito signo de Câncer?

Claro que não.

É humano passar por cima de nossos sentimentos. Já diziam os antigos para os filhos e netos do sexo masculino: “engula o choro, você não é maricas”. E no caso das mulheres, chorar é legítimo, já que “mulher é mais sensivel mesmo…”. Desde todos os tempos, os significado de ser sensível ou de ser mais emocional é ligado a algo ruim ou negativo. Como se vulnerabilidade fosse algo de outro mundo e que somente pessoas fracas e mal sucedidas vivessem.

Quando um grande fluxo energético acontece, voltado para a explosão de sentimentos, como é o caso dessa temporada de Sol em Câncer, a gente se sente perdido, com medo, sem saída. É uma vida tentando esconder o que sentimos, mas a verdade é uma só: essa conta sempre chega, sempre volta.

Falar de emoção hoje em dia requer coragem. De mexer nas feridas, de tocar fundo o que dói, de fechar gavetas que nem sempre conseguimos. Temporada de Sol em Câncer nada mais é do que mais uma oportunidade do universo para fazermos nossa parte, de assumirmos a responsabilidade em meio ao caos interior e modificar padrões. Sentir é a palavra-chave do momento. Acolher quem somos para entender de vez o que nos rodeia e onde podemos chegar. Muitas das respostas que buscamos for a está em nosso íntimo. Nossas relações são reflexos, nossas atitudes são consequências de falta de entendimento interno.

Por essas e outras que uma sessão de Sol em Cancer se faz necessária. Ela joga luz onde está obscuro, quer a gente queira, quer não. E para sair disso, é necessário apenas sentir.

 

Vivi Pettersen

Astróloga e apresentadora do podcast Astrologia JP