Entre os maiores desafios da maternidade, o desfralde com certeza é o que tira o sono de muitas famílias.

E não é para menos: na internet e entre os familiares, é possível identificar vários métodos e fórmulas mágicas que, muitas vezes, podem ser muito prejudiciais para uma criança.

Além disso, a sociedade não aceita uma criança “grandinha” usando fraldas sem que isso pareça um problema. Mas será que é mesmo?

O que você verá neste episódio?

 

No quinto episódio da segunda temporada do podcast Se liga, mãe!, conversamos com a psicóloga Nanda Perim, a famosa Psimama, sobre temas como:

 

  • Sinais de prontidão para o desfralde realmente existem?
  • Existe um momento certo para o desfralde?
  • Quais as formas mais comuns de tirar a fralda de uma criança?
  • Por que tantas crianças passam pelo desfralde diurno e só depois pelo desfralde noturno?
  • Desfralde coletivo dentro das escolas pode ser prejudicial para a criança?
  • Situações de estresse (chegada de um irmão, mudança de casa, de escola, perda de um animal de estimação ou familiar) pode interferir no desfralde?
  • Como fazer um desfralde consciente?
  • Desfralde pode regredir?
  • E se a criança voltar a pedir a fralda, devemos dar? Isso pode confundir a criança?
  • Quando devemos nos preocupar em relação ao desfralde e procurar um profissional?

 

E muito mais!

Se você quiser conhecer mais o Clube Psimama, clique aqui agora mesmo! Neste clube, você terá acesso a conteúdos completos relacionados com a infância como um todo, por um valor acessível e acesso a materiais de apoio exclusivos.

Ainda não conhece o Se liga, mãe?

Se você chegou agora por aqui, aproveite e nos siga nas redes sociais para começar a maratonar agora mesmo a primeira temporada!

Todos os episódios já estão disponíveis em todas as plataformas e players do mercado e aqui, no blog Mulheres da Pan da Jovem Pan. Se você quiser ouvir agora o episódio com a participação da psicóloga Nanda Perim, a Psimama, dê um play aqui embaixo:

 

Andressa Rosa

Eu era roteirista, aí virei mãe da Malu e nunca mais consegui parar de falar sobre isso. Hoje tenho um blog, um podcast e muita história boa pra contar!