Quantas vezes você mexeu no seu Instagram hoje? Em tempos de redes sociais, passamos muito tempo “navegando” nas mais diversas plataformas, e nem sempre estamos atentos às nossas atitudes.

Uma curtida em uma foto ou o envio de determinado emoticon, por exemplo, podem ser considerados flerte! Para os solteiros, tudo pode ser um sinal de interesse, mas e para os comprometidos?

O que separa uma conversa inocente de uma traição virtual?

É claro que, por ser um assunto polêmico, a resposta não é simplesmente do tipo “é isso”. Ela está mais para “depende ou alguns fatores”. O que vai determinar é o significado que ela tem para cada um, e os “combinados” feitos pelos casais.

Se para uma pessoa ter uma intimidade, uma conexão emocional ou até mesmo o simples fato de pensar em sexo com uma pessoa que não seja o(a) parceiro(a) é um desrespeito, então para ela isto provavelmente será traição. Já por outro lado, se para uma pessoa o sexo virtual não passa de uma fantasia, ou as conversas nas redes sociais são apenas “para passar o tempo, distrair”, sem apego, então para ela não será traição.

Para que isso não gere conflitos ou perda de confiança é importante deixar claro e bem combinado quais são os limites para cada um. Muitas vezes você pode se considerar desapegada e não ver problema nenhum nessas interações, mas nem imagina que o/a companheiro/a se sente desconfortável com a situação.

Como já abordei em um dos textos aqui do blog, o diálogo e a cumplicidade são ferramentas importantes para um bom relacionamento. Portanto, assuntos como estes podem e devem ser conversados, para que depois o silêncio não custe caro.

paulanapolitano

Psicóloga clínica, pós graduada em Terapia Sexual e em Terapia Cognitivo Comportamental. Também é autora do livro "Sexplicando: sexualidade sem mitos e tabus".