No vídeo dessa semana da série Desmistificando a Pornografia, publicada lá no meu Instagram, eu falo sobre como os gemidos aparecem nos pornôs, e de que maneira isso afeta a vida real e a vida sexual da pessoas.

Se você já assistiu a algum filme pornô, é bastante provável que tenha percebido isso: logo nos primeiros beijos e toques a mulher já começa a gemer – e muitas vezes até a gritar -, como se estivesse chegando ao orgasmo.

“tesão instantâneo” já foi assunto por aqui, então nosso foco hoje é a associação de gemidos com o prazer. Nas gravações as atrizes recebem instruções para fingir gemidos, e isso não está relacionado ao fato de ela estar excitada.

É claro que durante a relação, com os estímulos e as reações do corpo, como o aumento dos batimentos cardíacos, é comum que homens e mulheres sintam-se ofegantes, e a sensação de prazer leve à vontade de extravasar, e gemer, em alguns casos.

Mas a pornografia acaba, muitas vezes, promovendo a desinformação e a deseducação sexual ao indicar que é esse gemido (e quanto mais alto, melhor) que indica o prazer. Ou seja, se durante a sexo a mulher não gemer, consequentemente ela não está tendo prazer, ou não está dando prazer ao outro.

E como fica o homem nesse caso? O fato dele ficar em silêncio indica que ele não sente prazer?

Novamente recorro a outro assunto já falado por aqui: a indústria pornográfica é voltada, em sua maioria, aos homens, e apenas a mulher gemer reforça o papel de dominador das figuras masculinas.

A consequência é que, na vida real, muitos homens não se permitem demonstrar que estão sentindo prazer e internalizam esses sentimentos, ficando emudecidos.

Seja com silêncio, gemidos, gritos ou de qualquer outra maneira, aproveite o prazer promovido pela relação sexual.

Assista ao vídeo, e vamos desmistificar mais esse tabu juntos.

 

paulanapolitano

Psicóloga clínica, pós graduada em Terapia Sexual e em Terapia Cognitivo Comportamental. Também é autora do livro "Sexplicando: sexualidade sem mitos e tabus".