É uma sequência de pessoas problemáticas na sua vida que vou te falar, não tá fácil não… Quando você acha que se livrou da encrenca, logo aparece outra para não perder o costume.

Você diz por aí que é carma, dedo podre, falta de sorte e sei lá mais o quê, mas fato é que está de saco cheio de tanta dor de cabeça, estresse e sofrimento quando o assunto é relacionamento.

Todo mundo que te conhece vive dizendo que você é uma pessoa maravilhosa, merece tudo de melhor, alguém bacana, do bem, da paz para estar ao seu lado, porém, por mais que você também se considere tudo isso, está dificil demais de encontrar.

Vamos lá, para que a atração aconteça, você precisa ter o que o outro precisa e para que a atração se consume, ela precisa de reciprocidade de acordo com a dinâmica do encaixe (procuramos o que conhecemos e permanecemos onde entendemos que merecemos.)

Nesse caso, a pessoa problemática se sente atraída por você e a relação se estabelece porque você topa a parada, aceita e de algum modo compreende que ali é seu lugar.

Então, ao invés de se sentir a pessoa mais azarada do planeta, que tal refletir sobre o tipo de pessoa que vem te atraindo ultimamente e/ou que você aceita entrar no seu mundo, compartilhar da sua intimidade. Cada um que ingressa na nossa vida, só está lá porque em algum momento foi autorizado.

Se aos primeiros sinais você subestimar a gravidade da conduta, fechando os olhos para aspectos complicados de personalidade, vendo só o que é conveniente para que a relação se mantenha, possivelmente se tornará uma presa fácil para perfis abusivos, desorganizados, destrutivos e tóxicos.

Algumas mudanças de pensamento podem te ajudar muito na prevenção desse tipo de gente:
Você NÃO precisa de ninguém para dar sentido a SUA vida.

Nenhuma pessoa tem o dever de te fazer feliz, essa missão é sua.

 

Aprenda a curtir a própria companhia, ela é ótima e muito melhor do que ficar ao lado de quem não presta.

Não se submeta a qualquer pessoa por estar carente, no final a carência só aumenta.

Larga mão dessa mania de romantizar abuso e minimizar o que é grave e inaceitável.
Tenha os seus limites bem claros e respeite-se. A gente que ensina até onde o outro pode ir conosco.

 

Pamela Magalhães

https://pamelamagalhaes.com.br/

Psicológa especializada em relacionamento e apresentadora do podcast Coração Peludo