O que te faz feliz? Esta pode ser uma pergunta que tem diversas respostas. Depende de quem pergunta, de quando pergunta ou porque pergunta. Há quem seja feliz ao dar um gole de água quando está com sede, ou quando recebe um sorriso sincero. O conceito de felicidade é amplo, profundo e na maioria das vezes complexo.

Nietzsche diz que “Não é a força, mas a constância dos bons resultados que conduz os homens à felicidade”. Com isso, nos questionamos; o que é a felicidade?

Por definição a palavra felicidade significa “1 Estado de espírito de quem se encontra alegre ou satisfeito; alegria, contentamento, fortúnio, júbilo / Acontecimento ou situação feliz”

Uma palavra tão antiga e, ao mesmo tempo, tão contemporânea. A felicidade é um tema central de reflexão desde a antiguidade. Esse sentimento, enquanto fenômeno complexo, está constantemente sendo considerado, desde projetos individuais de vida até o planejamento de organizações e Estados. Hoje, mais do que nunca, estamos buscando felicidade.

Mas respondendo – ou tentando responder – a questão acima sobre o que é a felicidade: além do significado do dicionário, podemos definir essa expressão em dois polos; A felicidade externa e interna.

A felicidade externa nos leva a buscar para além de si, a expectativa de encontrar êxito, como conquistar um bem ou ser agradado por uma pessoa por exemplo. Já a felicidade interna, é baseada no amor próprio, compaixão e autoestima.

Pesquisa revela segredo da felicidade:

Para quem se apega a condições mais concreta, como estudos e pesquisas, o “Estudo de Harvard sobre o Desenvolvimento Adulto” – provavelmente o mais longo já feito sobre a vida adulta, com duração de 75 anos, se propôs a responder qual o segredo da felicidade.

No caso, dois grupos foram contemplados, estudantes de Harvard e moradores das cidades vizinhas a Boston, que foram entrevistados a cada dois anos, e monitorados a partir de exames médicos e experiências de interação com outras pessoas.

psiquiatra Robert Waldinger, o quarto diretor durante a realização do estudo, teve acesso a dados sobre a verdadeira felicidade e a sensação de satisfação. No TED “Do que é feita uma vida boa?”, Waldinger lança a pergunta “Se você hoje fosse investir no seu melhor “eu” futuro, no que você colocaria seu tempo e energia?”

A resposta não tem nada a ver com dinheiro, carreira ou status, e sim com as relações pessoais. Dentre as pessoas avaliadas no estudo, quem criou laços com outras pessoas viveu mais – e viveu melhor. O afeto compartilhado é o maior sucesso que alguém pode ter e investir em amigos, família e amores é o melhor que você pode fazer por si mesmo.

Existe um caminho para a felicidade?

Existe uma frase do monge budista e escritor vietnamita ThichNhat Hanh, que diz “Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho”. Mas será mesmo? Estamos todos em busca da felicidade?

Desde que o mundo é mundo os homens são intrigados em conquistar e obter a felicidade como se ela fosse algo palpável, um objeto a ser conquistado. A felicidade se trata de estado e mente, corpo e espirito, então se existe um caminho a ser percorrido, é o do autoconhecimento, até porque a felicidade não é o objetivo a ser atingido. A felicidade está no caminho a ser percorrido.

Vamos aprofundar mais esse assunto? No primeiro episódio da segunda temporada do “Saí de Casa”, as apresentadoras Luísa Accorsi e Manu Carvalho bateram um papo sobre felicidade com o Profº Gustavo Arns, especialista em Ciência da felicidade. O episódio já está disponível e você pode conferir nas principais plataformas de áudio e também na Panflix.

Por Sandro Christy