Tem o sonho de estudar no exterior? Então este artigo foi feito para você. Reunimos aqui os melhores destinos para você morar fora e cumprir essa meta ainda neste ano.

 

Fazer um intercâmbio é uma experiência enriquecedora para qualquer um. Conhecer novas pessoas, estar imerso em uma cultura totalmente diferente, explorar uma cidade nova e viver como um local no destino são alguns dos destaques de investir em um período de estudos no exterior. Mas muito mais que isso, é uma vivência de enriquecimento incomparável, que proporciona memórias incríveis que você vai levar pro resto da vida.

E aí, se animou ainda mais em partir para um novo lugar, e passar um tempo explorando um país com costumes diferentes do nosso? Confira nossas dicas dos destinos mais ideais para o seu intercâmbio:

 

Nova Zelândia

A Nova Zelândia é, literalmente, um mundo totalmente novo para descobrir. O país, apesar de bem distante do Brasil, costuma figurar entre as principais escolhas de destino para quem busca um intercâmbio em inglês, e não é difícil encontrar brasileiros por lá. Apesar de ter um sotaque mais carregado, diferente dos filmes em língua inglesa que estamos acostumados a ver, o povo neozelandês é super receptivo e está sempre pronto para dar uma mão amiga aos estrangeiros, um ponto que ajuda (e muito) quem resolve se jogar nessa aventura que é morar fora.

Aliás, por falar em aventura, a terra dos kiwis (como é chamada a população nativa), é um dos lugares mais ideais para quem gosta da adrenalina. Por lá, o que não falta é oportunidade para saltar de bungee jump, rapel, praticar mountain bike, escalada, arvorismo ou surfar, e o que mais você tiver vontade. Se você for animada assim, Queenstown é o seu lugar, com vistas incríveis de montanhas nevadas e do Lago Wakatipu nos arredores. Agora, se uma cidade mais completa é a sua pedida, a maior cidade do país, Auckland, será sua escolha ideal. Semelhante a São Paulo, porém sem todo aquele trânsito e quantidade exagerada de pessoas, ela oferece tudo que uma grande metrópole tem direito.

Se você busca uma experiência mais curta, de três meses, vai gostar de saber que não é necessário tirar o visto para ficar na Nova Zelândia por esse período. Quem quer passar mais tempo, no entanto, vai precisar regularizar essa questão, mas brasileiros têm boa receptividade no país e não costumam ter problemas no processo, que é bem simples, feito online mesmo. Uma boa opção é escolher o visto Working Holiday, que dá direito a trabalhar e viajar pelo território durante um ano, além de estudar por seis meses – a única ressalva é que são disponibilizadas somente 300 vagas por ano, e por isso é super concorrido.

Veja dicas sobre o destino:

Austrália

Vizinha da Nova Zelândia, a Austrália é outra ótima opção para os futuros intercambistas. A terra dos cangurus é outro país com pessoas bem receptivas, e algumas similaridades com o Brasil que podem ajudar você a se adaptar na nova rotina. Há um litoral incrível na costa leste, as cidades ao norte costumam ter climas amenos ao longo de todo o ano, o território é enorme (é o 6º maior do mundo, atrás justamente do Brasil), além de muitas paisagens incríveis para conhecer. É ou não é uma descrição bem parecida com a do nosso país?

Para ter praias incríveis para curtir durante sua permanência na Austrália, aposte em destinos como Brisbane, uma cidade mais histórica, mas próxima da costa, ou Gold Coast, que é o paraíso dos surfistas. Sydney, a maior cidade australiana, tem uma infraestrutura completa para proporcionar uma qualidade de vida ímpar aos intercambistas que vão morar lá, além de ter um dos climas mais estáveis do país (não é nem muito quente no verão, nem muito frio no inverno). Melbourne também pode ser uma escolha excelente, com opções diversas para quem curte arte e cultura.

Quem decide fazer intercâmbio na Austrália pode aproveitar para estudar e até mesmo trabalhar, dependendo do tipo de visto. O visto de turista, válido para uma temporada de até três meses down under, é mais barato e menos burocrático, mas permite somente que você estude por lá – além de viajar pelo país, é claro. Se a ideia for ficar mais tempo, uma boa ideia é apostar no visto de estudante, que vale pelo período do curso, com o acréscimo de até um mês de férias, mas permite também trabalhar por meio período. Essa é uma opção bem interessante, que ajuda bastante você a se manter por lá e ainda juntar uma graninha para conhecer outros destinos australianos, ou até mesmo países vizinhos, como a Indonésia ou as Filipinas.

Veja dicas sobre o destino:

 

Canadá

Estudar no Canadá é uma das escolhas mais certeiras que um intercambista pode fazer. O país tem um sistema educacional de primeira, reconhecido mundialmente, e oferece boas oportunidades para quem quer passar uma temporada no exterior. Também é uma opção muito boa para quem já tem domínio do inglês, pois como é uma nação bilíngue, há a chance da vivência em um outro idioma: o francês, que aparece mais na província de Quebec, uma parte de estilo mais europeu do país, sendo Montreal a cidade mais ideal para estudá-la.

Se seu objetivo for mesmo o inglês, o Canadá tem destinos excelentes para praticar a língua, como Toronto e Vancouver, as queridinhas dos brasileiros que procuram intercâmbio por lá. Porém, algumas cidades menos conhecidas, como Whistler ou Victoria, também podem ser boas escolhas – com populações menores e menos incidência de conterrâneos do nosso país, mas infraestrutura de excelência, você pode ter mais a chance de gastar seu segundo idioma por lá e ter mais facilidade no aprendizado. Tendo uma imersão mais intimista, pode ser que seja bem mais proveitoso escolher uma cidade menor.

O visto de turista para o Canadá vale por até seis meses e permite estudar no país durante este período, mas não permite trabalhar. Quem quer passar mais tempo fora e também ganhar experiência profissional vai precisar de uma autorização diferenciada, que é o visto de estudante. Porém, para a permissão de trabalho, somente o curso de línguas não é suficiente, como já foi no passado. As exigências são outras, sendo necessário apresentar a carta de aceitação de uma instituição de ensino, mas para algum curso de carreira, dos chamados Career College, específicos para alguma área de atuação, como marketing, finanças, administração, entre outras.

Veja dicas sobre o destino:

 

Irlanda

A Irlanda também é um dos destinos preferidos de quem sai do Brasil para passar uma temporada fora. Até mesmo por isso, é bom analisar bem qual será sua cidade escolhida, para não correr o risco de passar muito tempo com os outros brasileiros que também escolheram esse destino – a capital Dublin, ou Limerick, por exemplo, são as que mais concentram nossos conterrâneos. Por isso, outros lugares como Galway ou Cork podem te proporcionar uma vivência um pouco mais autêntica no país. E se você pretende mesmo mergulhar de cabeça na cultura irlandesa, Bray, Sligo ou Waterford são ótimas indicações.

Uma das grandes vantagens de escolher a Irlanda para seu intercâmbio é a facilidade de viajar para outros países da Europa, tanto pela proximidade quanto pelos preços, que se tornam muito mais amigáveis para o bolso partindo dali. Em feriados ou mesmo finais de semana bem planejados já é possível esticar o passeio para algum destino das proximidades, como a Inglaterra, por exemplo. E quando chegar a época das férias do curso, você pode aproveitar a oportunidade para fazer um super mochilão por diversos outros países europeus. Demais, não é?

A Irlanda também facilita bastante a questão do visto para os turistas do Brasil – os chamados stamps por lá. Para entrar no país como turista não é necessário ter um, com limite máximo de permanência de 90 dias e permissão para estudar nesse período, inclusive. Já quem pretende ficar mais que três meses, precisa solicitar o visto de estudante e/ou trabalho (stamp 2), em um processo feito logo no seu primeiro mês já no país, concedido por um órgão governamental irlandês. É super simples de conseguir, se você cumprir os requisitos, como ter a carta da escola onde você vai estudar, em um curso de carga horária mínima de 15 horas/semana, por pelo menos 25 semanas.

Veja dicas sobre o destino:

E então, já sabe qual vai ser sua escolha para o intercâmbio? Pretende ir para algum país dessa lista, ou tem outro destino em mente? Conta pra gente nos comentários!

Virginia Falanghe

https://dicasdeviagem.com

Jornalista, apaixonada por viagens, natureza, aventuras e em compartilhar dicas para ajudar mais pessoas a viajarem mais e melhor. Quando não está viajando, está lendo, escrevendo ou falando sobre destinos do Brasil e do mundo. Gosta de conhecer a fundo cada lugar, por isso não acredita em contá-los. Já pisou nos cinco continentes e fez algumas paradas longas para morar na Austrália, Estados Unidos, Canadá e Portugal. Atualmente, mora em São Paulo e escreve dicas de viagens no site da Jovem Pan, integra a equipe do programa Mulheres da Pan como especialista em turismo e também é editora-chefe dos sites Dicas de Viagem e Viva o Mundo.  Uma boa leitura e ótimas viagens.