Pensar em envelhecer, na sociedade ocidental, ainda é uma realidade dolorosa para muitas pessoas. Entretanto, estudos mostram que doenças e limitações não são consequências exclusivas da velhice. Depende, em grande parcela, da prevenção e do estímulo de hábitos saudáveis durante a vida, e do conhecimento que se tem com relação ao processo de desgaste do corpo.

De acordo com IBGE, a projeção é que o número de pessoas com mais de 60 anos chegue a 40 milhões em 2030

Mas é possível amenizar as dificuldades da terceira idade?

Para a coach de meditação Dianeli Geller, do clube de meditação Meditation 4 You, as terapias alternativas auxiliam o idoso a ter consciência sobre o envelhecimento, além de auxiliar na cura de doenças, e principalmente na redução de massa encefálica decorrente da idade. “A meditação passou a ter uma grande importância na vida das pessoas que buscam um alívio para o estresse, para os problemas, e para a dor constante da vida”, comenta.

A coach explica também que cientistas e neurologistas têm estudado a meditação, já que a prática tem o poder de modificar algumas áreas de ação cerebral, controlando a atividade na região do córtex pré-frontal, responsável pelo pensamento consciente, articulação, criatividade e visão estratégica. Além disso, por meio da prática, é possível alterar as funções e estruturas cerebrais, criando novas sinapses e, assim, reduzindo a perda de massa encefálica que acontece com o passar do tempo.

Pesquisas

Pesquisas científicas comprovam que a meditação, mais do que relaxar, pode ter efeitos benéficos sobre a saúde. Um estudo feito na Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, mostra que meditar durante 30 minutos, todos os dias, ajuda a aliviar sintomas da ansiedade, depressão e dores crônicas.

Existem contraindicações? Segundo Dianeli, nenhuma. “A prática é indicada para todo o indivíduo que busca o autoconhecimento, equilíbrio e uma vida saudável”, diz.

Benefícios da meditação

– Melhora a função imunológica;
– Auxilia na diminuição de dores crônicas e reduz os níveis de açúcar no sangue;
– Contribui com o processo hormonal do corpo, reduzindo a probabilidade de desenvolver sintomas relacionados a depressão;
– Diminui o estresse;
– Ajuda na qualidade do sono;
– Melhora a memória e diminui os pensamentos vagos.

Colocando em prática

Sente-se em uma postura confortável e feche os olhos. Comece a observar sua respiração e, aos poucos, vá aprofundando, respirando mais fundo, mantendo um ritmo calmo. Observe o ar entrando e saindo dos pulmões, a expansão e a contração do tórax e do abdômen.

Faça isso por pelo menos 10 minutos, e vá aumentando com o tempo até chegar em 30 minutos. De acordo com a coach, se quiser, coloque uma música calma e baixinha no ambiente, que pode ser instrumental, ou uma que te relaxe (se for uma música cantada, procure uma de letra positiva, um mantra por exemplo).

“Meditar em grupo é uma experiência única. O ambiente costuma favorecer e os participantes incentivam uns aos outros durante a prática”, acrescenta.

 

Paty Moraes Nobre

https://jovempan.uol.com.br/guiasp

Jornalista e agitadora cultural, atuou como repórter em rádios como Jovem Pan e Band, videorrepórter na TV Cultura, editora de notícias, lifestyle, TV e Cultura nas empresas Globo.com, Editora Globo, Caras e Portal iG. Casada e mãe, escreve sobre gastronomia no Portal UOL, é colunista da Exame Vip, da Editora Abril, e coordenadora das plataformas Mulheres da Pan e Revista Guia SP, da Jovem Pan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *