Ontem terminei de assistir ao premiado documentário “Wild Wild Country”, que conta a história do guru “Osho”.
Um documentário fantástico, com seis episódios, que relata como o guru influenciava e manipulava seus seguidores. Um homem tenebroso, maquiavélico, que se escondia atrás de sua assistente Sheela, uma mulher arrogante, diabólica e repulsivamente sarcástica. Ambos cometiam as maiores atrocidades com quem eles julgavam ser seus inimigos.

Várias foram as contravenções da seita liderada por Osho:

Primeiramente, entraram nos EUA de forma ilegal e fundaram uma comunidade, construindo um rancho enorme e fabuloso, o Big Muddy Ranch.

Invadiram uma cidadezinha em Oregon tirando a paz de seus habitantes. Armaram uma guerra contra eles, apesar de a seita pregar a paz e o bom convívio entre as pessoas.

Os líderes da seita cometiam as maiores maldades em busca de poder. Um dos casos assustadores foi o abuso da fragilidade de moradores de rua. Recolheram mais de 6.000 deles com a promessa de lhes dar uma vida melhor, porém a real intenção era que eles votassem a favor da comunidade em uma eleição para a tomada de uma outra cidade. O Estado impediu que os moradores de rua votassem por não residirem na cidade pelo tempo determinado em lei. Com receio de que essas pessoas se revoltassem no interior da comunidade, os líderes as drogaram para acalmá-las e, dias depois, devolveu todas elas às ruas, sem nenhum suporte.

Osho e Sheela cometeram vários crimes como: tentativas de assassinato, fraude eleitoral, tráfico de armas e envenenamento em massa com salmonela – que é considerado o maior caso de bioterrorismo da história dos EUA. A salmonela era cultivada em laboratório na comunidade.

Além de tudo, Osho pregava o sexo livre e sem preconceito. Possuía uma fortuna enorme, vinda de seus seguidores. Colecionava Rolls-Royces: tinha 90 no total.

Assustador, não?

Aos amantes das frases de autoajuda de Osho e aos apreciadores de excelentes documentários, recomendo assistir este: Wild Wild Country, dirigido pelos irmãos Chapman e Maclain Way, na Netflix.

 

Daniela Contin Garcia

Publicitária e Podcaster na Jovem Pan