Quando o assunto é introdução alimentar, muitas perguntas podem surgir na cabeça de uma mãe: são várias informações pela internet, opiniões de pediatras e é claro, a influência da cultura familiar.

Difícil mesmo é lidar com os pitacos e com tantos caminhos para escolher; mas nesse post, vou compartilhar 5 dicas preciosas para te ajudar nesse momento tão importante da vida do seu bebê.

  • Espere os sinais de prontidão.

De acordo com a SBP e com a OMS, a idade recomendada para começar a introdução alimentar é aos 6 meses. Além do foco no aleitamento materno exclusivo, essa média serve de referência para observação dos sinais de prontidão do bebê: sustentação do tronco, sentar sozinho sem apoio, interesse pelos alimentos, facilidade em levar objetos à boca e diminuição considerável da protusão de língua. Esperar esses sinais com certeza deixará seu caminho mais fácil e mais leve.

  • Permita que ele participe das refeições desde sempre

Esse talvez seja a maior dica desse post: Coma com seu bebê no colo sempre que conseguir e permita que ele conheça o ritual da refeição. Pratos, talheres, disposição da comida, ato de mastigar, conversas à mesa… Antes de ofertar um alimento, entender a dinâmica da família proporciona ao bebês experiências valiosas e muita interação.

  • Diminua sua expectativa

Se alguém te disse que é possível que um bebê de 6 meses coma um prato inteiro de comida sozinho, provavelmente era mentira. Salvo raras exceções, a introdução alimentar é um processo que dura vários meses e, no primeiro ano de vida de uma criança, o leite (materno ou fórmula) é a principal fonte alimentar. Preocupe-se mais em observar a dinâmica e em curtir cada momento!

  • Compre utensílios práticos e fáceis de limpar

Sabe aquele cadeirão cheio de vincos, botões, bandejas e estofados? Pense no trabalho que você terá limpando a cada refeição, porque introdução alimentar é sinônimo de sujeira e bagunça independente da abordagem que você usará. O mesmo vale para babadores, pratos, copos e talheres. Usar o que você tem em casa e apostar em soluções práticas vai te ajudar muito nesse processo.

Quer saber mais sobre o assunto?

Então aproveite e ouça o podcast Se Liga, mãe! sobre o tema com a educadora alimentar e culinarista Rita Fanha:

 

Andressa Rosa

Eu era roteirista, aí virei mãe da Malu e nunca mais consegui parar de falar sobre isso. Hoje tenho um blog, um podcast e muita história boa pra contar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *