A palavra selfie é uma abreviação do termo self-portrait, que significa autorretrato. “Um retrato! O que poderia ser mais simples e mais complexo, mais óbvio e mais profundo?”, questionou o francês Charles Baudelaire, um dos precursores do simbolismo.

“Em um autorretrato não estamos submetidos ao olhar de um fotógrafo sobre nós. Passamos pelo nosso próprio olhar, o que para muitas pessoas pode ser extremamente difícil de enfrentar. Fazer selfies é fazer uma auto-análise. É muito mais complicado do que as pessoas imaginam”, analisa a premiada fotógrafa Claudia Ruiz. “Não delegamos a uma outra pessoa a responsabilidade de leitura de nós mesmos; numa selfie ficamos responsáveis por essa missão”, emenda ela.

‘Aposte em cortes e efeitos em preto e branco’, indica a fotógrada Claudia Ruiz

Segundo a profissional, é por isso que está cada vez mais em alta investir na fotografia fine art: fotos produzidas como uma obra arte onde existe uma preocupação com a estética, o cenário, a composição, a iluminação e o tratamento da imagem.

“A fotografia fine art é um trabalho autoral, uma criação artística. Através do olhar do fotógrafo é transmitida uma ideia… E cada olhar é único, pois arte é resultado das experiências pessoais de cada um”, explica a profissional.

Claudia Ruiz em uma selfie fine art

Usando nosso próprio celular e atentos a algumas dicas preciosas da fotógrafa Claudia Ruiz, qualquer pessoa pode se capaz de produzir selfies que se enquadrariam perfeitamente na categoria fine art.

1) Descubra seus melhores ângulos sem medo e permita-se errar. Fotografe uma sequência com várias fotos. De muitas tentativas, uma sairá como você imaginou;

2) Escolha uma playlist musical que reflita seu estado de espírito do momento;

3) Invista em um tripé para celular e utilize o temporizador. Não fique preso somente à câmera frontal do seu celular. Use a câmera traseira, pois, além de ter mais qualidade, com maior resolução, permite que você tenha total liberdade para executar ações fazendo movimentos e se mostrando em um ângulo mais aberto;

4) Fotografe detalhes do seu rosto ou outras partes do seu corpo. Afinal de contas, o conceito selfie nada mais é que um autorretrato e isso engloba o seu corpo inteiro;

5) Busque inspirações sendo mais observador. Preste atenção à sua volta em pessoas, prédios e na natureza. Aumente seu repertório visual através de obras de arte, arquitetura, filmes, inclusive, pesquisando outros fotógrafos, por que não?;

6) Menos é mais: Preste muita atenção ao cenário em que você se encontra. “Limpe” o fundo de sua foto de qualquer distração que não faça parte da ideia que você quer transmitir e tenha um resultado mais clean;

7) Dê atenção especial à composição. Organize de forma harmoniosa os elementos no enquadramento;

8) Pense ‘fora da caixa’. Experimente incluir nas suas selfies objetos e elementos criativos como, por exemplo, reflexos, luzes coloridas, água, tecidos;

9) Evite uso do flash utilizando a luz natural a seu favor. E não se esqueça que as sombras também podem ser muito bem vindas se bem utilizadas;

10) Tenha em mente que a luz lateral destaca as ondulações e elas deixam as “imperfeições”, como rugas, espinhas ou cicatrizes, mais evidentes. Dê preferencia para um luz frontal, que deixa a pele mais uniforme, lisinha;

11) Procure por aplicativos que tenham filtros interessantes e que façam desfoques criativos. Ou, se preferir, deixe essa parte para a pós-produção. Mas nunca esqueça de tratar suas imagens! Um tratamento de imagem bem feito pode valorizar muito uma selfie. Aposte no crop (corte na foto), em um efeito preto e branco bem aplicado ou em um desfoque em determinada área.

12) Mantenha um único estilo de tratamento de imagem pois isso confere uma identidade à criação e, consequentemente, a você como autor.

Ao fazer uma selfie para postar, faça sempre essas perguntas: qual ideia eu quero passar com essa imagem? Qual o mood (o clima) que terá minha selfie? Trate suas selfies como autoexpressão da sua personalidade.

Paty Moraes Nobre

https://jovempan.uol.com.br/guiasp

Jornalista e agitadora cultural, atuou como repórter em rádios como Jovem Pan e Band, videorrepórter na TV Cultura, editora de notícias, lifestyle, TV e Cultura nas empresas Globo.com, Editora Globo, Caras e Portal iG. Casada e mãe, escreve sobre gastronomia no Portal UOL, é colunista da Exame Vip, da Editora Abril, e coordenadora das plataformas Mulheres da Pan e Revista Guia SP, da Jovem Pan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *