Organizar uma viagem para os Estados Unidos requer antecedência e investimento. Isso porque, o país norte-americano é um dos poucos que exigem o visto antecipado de brasileiros. E depois de conquistar o visto, ainda é preciso se preparar para a imigração, comprar dólares, treinar o inglês básico, garantir uma assistência em caso de imprevistos e se atentar a inúmeros outros detalhes para que sua viagem aconteça sem maiores contratempos.

Porém, todo esse planejamento necessário, não deve ser encarado como uma barreira para que sua viagem aconteça. Muito pelo contrário: é uma forma de viajar mais seguro e aproveitar com bastante confiança os destinos americanos. Eu sou suspeita para falar, pois há anos visito o país e aprendo cada vez mais como organizar uma viagem para os EUA.

Por isso, reuni neste artigo as melhores dicas para você começar hoje a programar sua trip por Miami, Orlando, Nova York, Las Vegas ou qualquer outro lugar incrível na Terra do Tio Sam.

 

Como planejar uma viagem para os Estados Unidos?
Como planejar uma viagem para os Estados Unidos?

1. Emita seu passaporte

Ao pensar em fazer uma viagem para os Estados Unidos, você precisa ter um passaporte, que nada mais é que um documento pessoal que serve para registrar suas viagens para fora do Brasil. Inclusive, alguns países vizinhos nem exigem passaporte, mas esse não é o caso dos Estados Unidos.

Portanto, faça o seu passaporte na Polícia Federal. Ele terá um custo e tem validade de 10 anos. É um investimento que servirá não apenas para essa viagem aos Estados Unidos, mas para outras aventuras ao redor do mudo.

 

 

2. Tire o visto americano

Essa ação é imprescindível se você quer viajar para os EUA. Sem visto, não há como embarcar legalmente no país. Essa é uma parte cara da organização, pois você terá que procurar um Consulado Americano mais próximo (ele existe apenas em algumas capitais do Brasil) para marcar as 2 fases da candidatura (entrega de documentos e foto + entrevista com oficial).

Essas marcações são feitas online, assim como a inscrição que gera uma taxa para custear o processo de solicitação.

Seguindo todas as recomendações de preenchimento, documento e entrevista, seu visto será aprovado sem problemas.

Como planejar viagem para os EUA
O visto americano é uma etapa fundamental no planejamento da viagem

 

3. Defina a época da sua viagem e o destino

Assim que você tiver o passaporte e o visto em mãos, finalmente chega a hora divertida do planejamento! Pensar sobre quando ir aos Estados Unidos e para onde fará toda a diferença na organização da sua trip, pois o país tem temperaturas bem diferentes e destinos para todos os gostos.

A partir dessas definições (lugar + época), é ficar de olho nas promoções para pagar barato pela passagem aérea e economizar na hospedagem. Uma dica é fugir do período tradicional de férias e da alta temporada de cada região.

 

4. Compre dólar

Assim que você comprar as passagens aéreas, estude mais sobre o câmbio do país. O dólar é uma moeda super valorizada frente ao real, o que significa que na cotação de hoje (março de 2022) você terá que juntar quase 6 reais para comprar apenas 1 dólar.

Logo, é importante você acompanhar de perto a variação do câmbio e buscar oportunidades de comprar dólar online o mais barato possível durante as oscilações.

Aproveite também para liberar o seu cartão para território internacional e verifique se ele possui limites diários para transações ou outros tipos de restrições fora do país.

 

5. Treine o inglês (e espanhol!)

Obviamente, essa dica é para quem não fala o idioma fluente. Não desista de viajar só porque não fala inglês, apenas dedique-se a entender e falar o básico. Mas eu tenho uma dica especial: caso você domine o espanhol, não terá grandes dificuldades de se comunicar.

A maior parte dos agentes de imigração é preparada para se comunicar também nesse idioma, principalmente se o seu aeroporto de chegada for na Flórida (Miami, Orlando etc).

Já nos hotéis, lojas, bares, pontos turísticos e restaurantes sempre haverá imigrantes latinos trabalhando e aptos para atender em espanhol.

Ainda assim, acho importante que você aprenda bem os cumprimentos e outras expressões que demostrem gentileza e educação em inglês, pois elas sempre vão lhe abrir as portas.

Como planejar uma viagem para os Estados Unidos?

 

6. Faça um seguro viagem

Os Estados Unidos não exigem seguro viagem obrigatório. Mas se eu fosse você não veria vantagem nenhuma nisso. O país é famoso por cobrar caro por serviços de saúde e acredito que não está no seu orçamento de viagem pagar o valor de um carro popular por um pé quebrado.

Portanto, a melhor maneira de economizar é pagar por um seguro viagem para os EUA. Assim você garante cobertura em caso de algum imprevisto, como acidentes, quedas, machucados, infecção intestinal e tantas outras situações que estamos sujeitos a enfrentar seja em casa ou viajando. Você pode conferir onde comprar um seguro viagem aqui.

 

7. Viaje conectado

Eu já estive nos Estados Unidos na época em que não existiam smartphones e a comunicação era bem menos móvel e ágil. Por isso, acredite quando eu recomendo: não viaje sem internet no seu celular! Você não tem ideia do quando ficar conectado em 100% do tempo nos Estados Unidos fará a maior diferença no seu roteiro.

E mais: não dependa de wi-fi dos estabelecimentos. Muitas vezes, a conexão é lenta e você nem consegue aproveitar. Com um chip de celular nos EUA você fica com dados móveis para onde for: dá para acompanhar o seu percurso no transporte público, pedir Uber de onde estiver, consultar horários, confirmar reservas, comparar moeda, usar tradutor, verificar mapas (o mais útil)… Tudo na palma da mão!

 

8. Prepare-se para se adaptar

O padrão de tomadas dos EUA é diferente. O ideal é comprar adaptador (aqui no Brasil ou assim que chegar nos EUA). Pois, caso os hotéis em que você fique hospedado não tenham tomadas com um padrão internacional, você corre o risco e não conseguir carregar seu celular ou computador. Consulte também a voltagem da energia em relação à região que você mora no Brasil (caso leve algum aparelho elétrico).

Além desse tipo de adaptação, quero abordar outro tipo de adequação. Àquela que compete a nós, viajantes. O maior erro que você pode cometer ao viajar para os Estados Unidos (ou qualquer outro país) é não se abrir para o diferente. Não espere se alimentar tão bem quanto em casa. O mesmo serve para o clima, para os ambientes, para a receptividade das pessoas etc.

Ou seja, esteja preparado para as novidades e não se prenda à rotina cotidiana enquanto estiver viajando. Afinal, quem não conhece alguém que passa a viagem reclamando da comida, do frio, do calor, da cama, da distância e acaba perdendo o melhor da experiência?

 

9. Embarque leve

Se você viajar com menos malas para os Estados Unidos certamente pagará mais barato pela passagem aérea (que atualmente cobra por mala grande).

Ademais, vai melhorar a qualidade dos seus deslocamentos internos. Menos peso e até menos “tip” (gorjeta) nos táxis, Ubers ou hotéis onde se hospedar. Ah, e também sobra espaço na bagagem para trazer mais importados para o Brasil (produtos de beleza, comidas, roupas e tantas outras compras que valem a pena).

 

10. Comprove suas reservas

É importante fazer as reservas antecipadas de todas ou quase todas as suas hospedagens nos Estados Unidos. Não só pela comodidade e economia, mas também porque certamente a imigração vai checar se você realmente tem onde ficar. Você pode por exemplo ver e já reservar os melhores lugares para se hospedar em Miami antes de viajar. 

Isso sempre acontece comigo. Inclusive, nos EUA há um cruzamento muito eficiente dos bancos de dados do país. Se você fizer sua reserva em grandes sites de hospedagem, a imigração pode ter acesso à informação e fica mais fácil confirmar que sua viagem é realmente para fazer turismo.

Isso vale para ingressos antecipados, transfers, passagem de volta e tudo que comprove que você está no país temporariamente. Imprima tudo (não confie apenas na bateria do seu celular) e leve em uma pasta que fique fácil de manusear na cabine de imigração (caso seja solicitado).

 

11. Viaje com roteiro pré-estabelecido

Viajar com roteiro programado para aos Estados Unidos não significa que você deve segui-lo à risca. Todavia, é necessário ter em mente o que fazer, sabendo quais são os passeios ou lugares imperdíveis. Dessa forma, você concilia os lugares que deseja conhecer ao ritmo da sua viagem.

Imagina chegar em Nova York procurando onde ficar? Por mais que você goste de surpresas, deixar para comprar em cima da hora o ingresso para um musical da Broadway, por exemplo, não é a melhor ideia. Assim como não saber previamente qual museu ir em Washington é perda de tempo, já que a cidade possui centenas deles!

Eu sempre mesclo bem minhas atividades: algumas são agendadas previamente por conta da necessidade de ingresso antecipado, outras confiro in loco se vale a pena e algumas simplesmente decido na hora, no calor da experiência. Mas é fundamental sair de casa com um roteiro básico.

 

Conclusão

Bem… teria muitas outras coisas para falar sobre o planejamento de uma viagem para os Estados Unidos. Contudo, acredito que esses 11 tópicos são referências para iniciar qualquer organização. E para deixar tudo mais fácil, lembre-se que a viagem começa no momento da preparação e isso você pode iniciar hoje mesmo! Boa viagem!

Virginia Falanghe

https://vivaomundo.com.br/

Jornalista, apaixonada por viagens, natureza, aventuras e em compartilhar dicas para ajudar mais pessoas a viajarem mais e melhor. Quando não está viajando, está lendo, escrevendo ou falando sobre destinos do Brasil e do mundo. Já pisou nos cinco continentes e fez algumas paradas longas para morar na Austrália, Estados Unidos, Canadá e Portugal. Atualmente, mora em São Paulo e escreve dicas de viagens no site da Jovem Pan, integra a equipe do programa Mulheres da Pan como especialista em turismo e também é editora-chefe dos sites Dicas de Viagem, Viva o Mundo e Pousadas Incríveis  Uma boa leitura e ótimas viagens.