Muitas das reclamações que eu ouço no consultório, antes e agora, na “carentena”, envolvem a dificuldade em conhecer novas pessoas interessantes e construir um relacionamento. E as queixas vêm das mais variadas fontes: homens e mulheres solteiras, separadas, divorciadas, viúvas, enroladas, de faixas etárias diferentes, e com experiências anteriores muito diversas, quase sempre com um ar de tristeza, desesperança e solidão.

Claro que o que é uma pessoa interessante para um pode não ser para o outro, então este é um conceito que deixarei para você pensar: quem são pessoas interessantes para eu me relacionar? O que eu espero de uma pessoa e de um relacionamento?

Se antes, com a possibilidade de ir à lugares públicos sem a preocupação do coronavírus, já era difícil definir uma “fórmula mágica” para encontrar um novo amor, como fazer neste momento, que além das máscaras, devemos seguir evitando as aglomerações?

Muitas pessoas vão responder de prontidão: com os apps de relacionamento! Eles são, claro, ótimos aliados, mas antes mesmo de dar o “match”, é preciso entender alguns pontos fundamentais:

  • Saber o que você espera de um relacionamento

Antes de qualquer coisa é fundamental se perguntar: qual é o tipo de pessoa que você quer se relacionar? Saber o “perfil ideal” para você é essencial, pois quando começar a conhecer alguém e perceber que ele ou ela é muito diferente do que é importante para você, é melhor nem perder tempo (quando o objetivo é um relacionamento).
Tenha em mente o que é imprescindível que a pessoa tenha, algo que seja importante para você (sinal verde) e também quais são seus limites, o que não dá para a pessoa ter pois é quase que uma agressão a você (sinal vermelho) e, no meio do caminho, com o que é possível lidar (sinal amarelo).

  • Seja você mesmo

Não adianta se fantasiar de algo que você não é para tentar conquistar alguém. Se você é carinhoso, gosta de afeto e contato, não finja que não se importa com a falta de abraços e afagos. Em algum momento a falta de atenção vai pesar, e você perceberá que fica mais difícil cobrar algo que você não demonstrou ter necessidade. Cuidado para não cair em preconceitos do tipo “homens ou mulheres são assim”, “se eu for assim ninguém vai querer”, “para se conseguir um relacionamento tem que ser assim”. Essas regras generalizadas são muito perigosas, por isso o melhor é sempre ser você mesmo.

  • Atenção aos sinais

Relacionamento é uma via de mão de dupla. Se você quer alguém que esteja 100% disponível, ou se você não gosta de tanto “grude”, demonstre, fale o que é importante para você (existem diversas formas de falar ou demonstrar), e fique atento aos sinais: se a conversa está fluindo bem de ambos os lados, se ambos se procuram para conversar ou se ver, se dizem o que pensam, sentem ou querem. É fundamental haver equilíbrio.

  • Amor ou dependência

Perceba os seus próprios sinais. Será que sua busca por um relacionamento não é apenas carência, medo de ficar sozinho? Será que não está aceitando pouco, por medo, decepções anteriores, crenças negativas a seu respeito ou dos relacionamentos? É preciso ter isso claro para não aceitar qualquer tipo de relacionamento e acabar se machucando por se envolver com alguém que não te merece.

E como falamos sobre os sites e aplicativos de relacionamentos, que estão em alta, vale destacar também alguns cuidados.

  • Não se expor demais, com fotos, nudes e informações confidenciais;
  • Pesquisar sobre a pessoa. Pergunte, converse, conheça mais antes de sair com ela;
  • Procure ver se a pessoa tem algum conhecido em comum;
  • Atenção com o gromming: pacientes e conhecidas já relataram experiências negativas com homens que se dizem estrangeiros, inclusive conversando em outra língua, com histórias bem sucedidas, que puxam papo por semanas para conquistar confiança, fazem elogios e prometem até casamento para depois pedir uma quantia de dinheiro emprestada e provocar a culpa caso não você não ajude;
  • Quando for encontrar a primeira vez com a pessoa, marque em lugares públicos e avise alguém de sua confiança.


Encontrar alguém para amar ou passar bons momentos é ótimo, mas antes de qualquer coisa é
imprescindível estar bem consigo, seja solteiro ou acompanhado. Saber se valorizar, se admirar e se respeitar é o primeiro passo antes de esperar isso de alguém. A sensação de felicidade é uma somatória dos mais diversos aspectos da nossa vida, e um dos mais importante é saber SE AMAR.

 

paulanapolitano

Psicóloga clínica, pós graduada em Terapia Sexual e em Terapia Cognitivo Comportamental. Também é autora do livro "Sexplicando: sexualidade sem mitos e tabus".