No texto da semana passada eu trouxe o conceito das Linguagens do Amor, criado pelo escritor e conselheiro amoroso Gary Chapman: é a forma como cada um entende, sente e demonstra amor.

Hoje o objetivo é trazer mais informações sobre como identificar a sua linguagens, a do seu parceiro/a, e também como aplicá-la e melhorar o seu relacionamento.

Para começar, é importante fazer duas reflexões:

  1. Como você costuma demonstrar amor? Dando presentes? Fazendo carinho? Fazendo coisas juntos? Resolvendo algumas questões para o outro? Dizendo o quanto ama?
  2. Do que você mais reclama? O que você mais pede? Do que você mais sente falta que o outro não está dando o suficiente? O(A) parceiro(a) não te dá atenção?

Essas mesmas perguntas valem para o seu companheiro/a. Tente lembrar das atitudes, e como ele/a demonstra amor ou do que ele/a mais te cobra. Aliás, ao invés de só ficar chateada com as reclamações, use essa informação de forma produtiva. Pode ser um sinal sobre o que a outra pessoa sente falta.

Se você já conseguiu se identificar com as suas linguagens e perceber qual é a linguagem do parceiro/a, agora é a hora de colocar em prática. Vale lembrar que temos todas elas, mas em ordem de maior ou menor importância.

“Mas Paula, se eu começar de uma hora para outra a ‘falar’ a linguagem dele, não vai ser estranho, ou parecer forçado/manipulação?”

Essa pergunta é muito comum, e eu gosto de responder com outra pergunta. Tudo o que você faz é de forma espontânea, e na hora que você deseja, o quanto deseja? Imagino que não, né? Com o amor também não precisa ser! Se esforçar/dedicar para aprender e falar a linguagem do outro, mesmo não sendo a sua, e talvez não sendo muito fácil, é por si só um grande ato de amor!

Então fique atenta para essas dicas e coloque em prática as ações que demonstram as linguagens do amor!

Palavras de Afirmação: reforce o quanto admira e valoriza o outro. Pense nas qualidades da pessoa e fique atenta para verbalizar estas qualidades. Mande mensagens de apoio/valorização/reconhecimento especialmente em momentos que souber que o outro está enfrentando algum desafio ou preocupado com o resultado de algum evento cotidiano.

Tempo de Qualidade: programe-se para estar com a outra pessoa de corpo e alma. Desligue a TV e vire o celular para baixo e no silêncioso para demonstrar que está focado. Mostre interesse e esteja aberta para compartilhar como foi o dia, as experiências, sentimentos e emoções. Pergunte se a pessoa gostaria de te acompanhar nos seus programas, e se ofereça para acompanhá-lo em outros. Proponha programas de lazer juntos, só os dois, assim como provavelmente faziam na época do namoro.

Presentes: saiba que os presentes, mesmo que em datas comemorativas e depois de muitos anos de relacionamento, serão sempre fundamentais como demonstração de amor! Não pense que só por estarem juntos há muito tempo ou por você não considerar algo importante o outro também pensa dessa maneira. Surpreenda com presentes fora de datas especiais – desde um simples bilhete escondido na carteira a um café da manhã surpresa na cama, trazer algo do mercado que a pessoa goste, ou um jantar a luz de velas.

Atos de serviço: ofereça-se para resolver pendências para o outro, principalmente com algo que você tenha facilidade e ele não. Se você sabe tudo de Excel, que tal atualizar as planilhas, ou ensiná-lo a usar? Você sabe que o outro odeia lavar louça e você não se importa tanto, então assuma esta responsabilidade. Prepare o jantar, encha o tanque do carro, calibre os pneus, cuide da apólice de seguro, pendure as roupas. Simples tarefas do dia a dia podem ser enormes provas de amor.

Toque físico: abrace, beije, faça carinho, cafuné. Ande de mãos dadas, sente-se ao lado do outro, esteja em contato físico sempre que puder. Faça massagem, sente de pernas entrelaçadas, assistam a filmes juntinhos, vá dormir de conchinha ou deitado sobre o peito. Enfim, o que vale é o contato físico frequente!

Conseguiu identificar a sua principal linguagem? E a do(a) parceiro(a)? Quer demonstrar o amor da maneira que o outro realmente se sinta amado? Comece a demonstrar o amor na linguagem principal dele (dela). Com o tempo e a prática, vai ficando cada vez mais fácil e natural. Surpreenda-se com o poder de encher o tanque do amor e os seus resultados para a relação.

 

paulanapolitano

Psicóloga clínica, pós graduada em Terapia Sexual e em Terapia Cognitivo Comportamental. Também é autora do livro "Sexplicando: sexualidade sem mitos e tabus".