O diretor e ator Miguel Falabella foi internado há alguns dias com um quadro de celulite infecciosa. Segundo o artista da Globo, o problema afetou o joelho e a perna.

“Infelizmente passei meu aniversário no hospital por causa de uma bactéria que resolveu entrar no meu sistema e transformou minha perna num membro alienígena. Graças a uma equipe médica muito especial ela foi atacada no momento exato e eu já estou me recuperando. Esta semana infelizmente não vou poder fazer a peça, mas sexta-feira que vem volto com alegria de sempre para o palco em ‘A Mentira’, no Teatro Frei Caneca. Beijos e obrigado pelo amor de sempre”, desabafou ele, no Instagram.

De acordo com o dermatologista Caio Lamunier, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e do Hospital das Clínicas de São Paulo, a celulite comum é a inflamação da célula de gordura, seja por obesidade, sedentarismo ou dieta inadequada, e é uma questão estética reconhecida pelo aspecto de “buraquinhos” na pele. “Ela não tem nada a ver com celulite infecciosa, que é uma placa quente e vermelha que doi na pele, uma inflamação das células de gordura causada por infecção de bactérias”, distingue o médico. “A celulite infecciosa é uma infecção grave da pele“, emenda.

Celulite infecciosa pega?

O especialista alerta que a doença não é contagiosa, mas é preciso prestar atenção em alguns detalhes. “Diversos fatores fazem a bactéria penetrar na pele e causar uma infecção na gordura: ineficiência imunológica, ferida, machucado ou mesmo o inchaço da perna fazem com que a pele não funcione tão bem como defesa e permita o acesso ao local”.

Segundo o especialista, a celulite infecciosa pode acontecer em qualquer lugar da pele, mas é mais comum nos membros inferiores, onde o inchaço é maior e favorece a penetração bacteriana. Normalmente, quando a infecção começa, nota-se uma perna avermelhada, inchada, dolorida e quente. O diagnóstico, muitas vezes,é confirmado pelo exame médico e é preciso tomar antibiótico

“Às vezes, exames complementares, como ultrassom, mostram o grau de inchaço e, o hemograma, se não existe comprometimento sistêmico com bactéria na circulação, o que pode comprometer outros órgãos”, explica Caio Lamunier.

O caso de Falabella exigiu internação para que o artista pudesse fazer o tratamento com antibiótico na veia, mas o uso oral do medicamento também é indicado, apesar de exigir mais tempo do paciente.

“Compressas para diminuir o inchaço também são indicados”, finaliza Caio.

 

 

Paty Moraes Nobre

https://jovempan.uol.com.br/guiasp

Jornalista e agitadora cultural, atuou como repórter em rádios como Jovem Pan e Band, videorrepórter na TV Cultura, editora de notícias, lifestyle, TV e Cultura nas empresas Globo.com, Editora Globo, Caras e Portal iG. Casada e mãe, escreve sobre gastronomia no Portal UOL, é colunista da Exame Vip, da Editora Abril, e coordenadora das plataformas Mulheres da Pan e Revista Guia SP, da Jovem Pan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *