A quarentena foi a “desculpa” que muita gente precisava para comprar o primeiro brinquedo erótico ou aumentar as possibilidades! Nos EUA, teve empresa que distribuiu vibradores, na Dinamarca, só em abril a venda de acessório cresceu 110%, e no Brasil a Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual (Abeme) acredita que o crescimento nas vendas pode chegar a 12%. Meu Instagram também se encheu de perguntas sobre, e por isso trouxe o assunto pra cá!

Primeiro, eu quero saber:

Você já utilizou algum acessório erótico? Se você está pronto para responder não, talvez até com certo preconceito, talvez queira reconsiderar a resposta. Quer ver?

Você já usou alguma lingerie mais sexy? Um perfume mais marcante? Já colocou uma música mais romântica para o momento? Passou aquele creme no corpo que é mais especial? Utilizou algum gel lubrificante ou gel para sexo oral? Assistiu a algum filme erótico? Vestiu uma fantasia? Acendeu vela aromática?

Se agora disse “sim” para alguma dessas perguntas, então você já usou acessórios eróticos! A gama de possibilidades é enorme, mas claro que os vibradores são os primeiros que vem à cabeça.

Apesar do preconceito que ainda pode carregar, ele deve ser visto como uma extensão da mão, usado para estimular os genitais e outras áreas erógenas. A diferença é que ele é mais rápido e com ritmo constante. Dependendo do objetivo e do público-alvo, o vibrador pode ter características bem peculiares. Vamos conhecer alguns?

  • formato de pênis com dois protótipos de pênis (um para a penetração vaginal e o outro para a anal);
  • pênis de duas pontas (usado principalmente por casais homoafetivos femininos);
  • pênis giratório (vibrador giratório);
  • vibradores como borboletas (para serem acoplados na vagina);
  • vibrador de dedo;
  • vibrador anal;
  • vibrador acoplado a um dispositivo eletrônico, como iPod;
  • vibradores discretos para clitóris (em formato de batom, pincel de blush, patinho de plástico)

É importante ressaltar, e não apenas neste período de pandemia, a importância com a saúde sexual. Os brinquedos e acessórios devem ser sempre higienizados para que não haja transmissão de doenças.

Solteira, casada, em relacionamento à distância, para o isolamento social ou em qualquer momento, os acessórios eróticos são ótimos aliados da sexualidade. Podem aliviar a tensão, permitir a descarga de energia sexual (diversão prazerosa), promover o autoconhecimento e apimentar a relação.

paulanapolitano

Psicóloga clínica, pós graduada em Terapia Sexual e em Terapia Cognitivo Comportamental. Também é autora do livro "Sexplicando: sexualidade sem mitos e tabus".