O primeiro passo ao saber da chegada de um novo filho é ir ao ginecologista. Mas a maioria das gestantes esquece que também é necessário cuidar da saúde bucal para evitar complicações na gravidez.

Segundo o dentista Gustavo Menegucci, pesquisadores desvendaram recentemente que a periodontite — inflamação e infecção dos ligamentos e ossos que dão suporte aos dentes —  aumenta em 2,18 vezes o risco de parto prematuro e dobra as chances do bebê nascer abaixo do peso.

Fala polêmica

Na época deputado federal, o Presidente da República Jair Bolsonaro (PSC-RJ) falou em entrevista coletiva na cidade de Manaus (AM) sobre suas propostas para a área da saúde. “Uma criança que nasceu precocemente tem um gasto altíssimo no neonatal. E por que temos muito prematuro no Brasil? A primeira questão, segundo diz os médicos, é uma questão de cárie. Então, quando for fazer o pré-natal, a ideia é já mandar para um dentista”, disse.

A declaração gerou polêmica, mas, dois anos depois, é reforçada por Menegucci.

O especialista alerta que um pré-natal odontológico é a melhor forma de prevenir esse tipo de complicação. “O acompanhamento odontológico é tão importante quanto o ginecológico, pois, nesse período, a região bucal se torna mais sensível a alterações hormonais e elas modificam principalmente a área da gengiva, tornando-as mais fragilizadas. Por isso, o ideal é reforçar os cuidados com higiene, procurar um profissional já no segundo trimestre da gravidez”, garante o especialista.

A relação entre as cáries e o nascimento antes do tempo se dá quando danos causados nas cavidades dentais já estão avançados a ponto de atingir os nervos e causar dor. “Quando esse quadro se estabelece, a infecção pode liberar substâncias que estimulam o início das contrações, como cortisol e adrenalina, que estão intimamente ligadas ao estresse emocional e antecipam o parto”, explica.

Segundo o dentista, a saúde bucal comprometida também pode colocar em risco a saúde do bebê. “Devido às lesões cariosas, a mãe pode ter dificuldade de se alimentar corretamente. Além disso, a flora bacteriana oral é modificada e pode transferir essas bactérias para o bebê após o nascimento”, finaliza Gustavo.

Cárie pode liberar substâncias que estimulam o início das contrações e causar parto prematuro, garante dentista

Paty Moraes Nobre

https://jovempan.uol.com.br/guiasp

Jornalista e agitadora cultural, atuou como repórter em rádios como Jovem Pan e Band, videorrepórter na TV Cultura, editora de notícias, lifestyle, TV e Cultura nas empresas Globo.com, Editora Globo, Caras e Portal iG. Casada e mãe, escreve sobre gastronomia no Portal UOL, é colunista da Exame Vip, da Editora Abril, e coordenadora das plataformas Mulheres da Pan e Revista Guia SP, da Jovem Pan.