O incômodo é inevitável quando falamos dos campos de extermínio nazistas.

Quem assiste ao filme “O Menino do Pijama Listrado”, por exemplo, consegue captar o desespero das vítimas que se amontoavam dentro das câmaras de gás e até o cheiro que as personagens diziam sentir de carne humana sendo incinerada, sem contar a agonia sentida na cena final, na qual o horror se mostra em sua forma mais pura.

Na semana passada, uma “thread” no Twitter (sequência de vários tuítes para contar uma história) viralizou na rede social e causou comoção.

A thread relatava como o cinza e as cinzas dos campos de extermínio poderiam se tornar arte no sentido de humanizar e homenagear as vidas destruídas pelo nazismo.

A artista mineira Marina Amaral, especialista em colorização de imagens, conta que em 2016 encontrou a foto de Czesława Kwoka, uma menina polonesa de 14 anos, vítima do nazismo. Marina se comoveu tanto com a foto que decidiu usar sua arte para trazer mais humanidade para aquela menina.

A foto rodou o mundo e impactou muitas pessoas. O retorno foi tão grande que Marina decidiu criar o projeto “Faces of Auschwitz”. Ela recebeu o apoio do Museu de Auschwitz-Birkenau na Polônia, que liberou o acesso ao acervo e autorizou a restauração de mais fotos. No total foram liberadas 40 mil fotos para o projeto.

Quase dois anos depois da criação do “Faces of Auschwitz”, o projeto independente reuniu um grupo de pessoas de vários países em uma empreitada maior. Elas viajaram para a Polônia e gravaram um documentário.

Ainda sem data de lançamento e sem plataforma definida, o documentário tem como objetivo fazer com que aquelas pessoas, vítimas das atrocidades do nazismo, não sejam esquecidas.

“Não é sobre mim ou sobre meu trabalho, nem nunca foi. É sobre as coisas incríveis que podem acontecer quando pessoas se unem e decidem fazer a diferença. E fazer a diferença não significa mudar o mundo, mas pelo menos fazer alguém pensar”,

escreveu Marina em sua thread, disponível neste link: https://twitter.com/marinamaral2/status/1197894448648245248?s=20.

Você também pode conhecer o projeto “Faces of Auschwitz” neste outro link: https://facesofauschwitz.com/

Daniela Contin Garcia

Publicitária e Podcaster na Jovem Pan