No mês de janeiro, começamos a ver várias “pessoinhas” uniformizadas com mochilinhas a tira colo (e eu confesso que sou apaixonada nesses pacotinhos indo pra escola), e junto com eles vários corações de mãe partidos (e aliviados!) pensando: será que ele(a) vai se adaptar?

Principalmente quando o assunto é adaptação escolar para bebês ou crianças que ainda estão desenvolvendo a comunicação verbal, muitos sinais passam despercebidos e nos deixam sem um norte que tranquilize nosso peito.

Eu já contei por aqui como foi meu retorno ao trabalho, mas nesse post quero compartilhar os 3 sinais que me disseram que estava tudo bem com a Malu na escola.

 

O período de adaptação

Malu entrou na escola com 10 meses, e eu tive o privilégio de conseguir fazer a adaptação dela com calma, junto a uma grande amiga que me ajudou em todos os momentos (Obrigada, Tatá!).

É fundamental que a escola permita que os pais e responsáveis estejam presentes nesse período, dando todo o apoio que a criança precisa.

No nosso caso, começamos com 1 hora no dia, aumentando para 2 horas no dia seguinte, 3 horas e assim foi.

Muitos pais preferem deixar a criança de uma vez porque acreditam que o sofrimento é menor, mas essa é uma escolha deles. Se você quer participar da adaptação e a escola não deixa, pode ligar a anteninha.

Por outro lado, também é importante que você dê espaço para que o progresso aconteça. Quando se sentirem seguros, despeça-se do seu bebê com alegria, sempre conversando sobre como seu dia será maravilhoso e o dele também.

 

Será que meu bebê está se adaptando bem?

Agora que já introduzimos os pontos de destaque da adaptação, chega de conversa! Essas dicas fazem parte de uma consultoria que tive o privilégio de ter com a diretoria da escola da Malu.

Eles foram muito generosos comigo, entendendo que a adaptação é dos filhos e dos pais, e é exatamente por isso que quero transferir esse conhecimento a vocês.

Alimentação

Se seu bebê come na escola e permite que o alimentem, esse é um sinal de que os vínculos com os cuidadores e professores está acontecendo.

A fase de introdução alimentar é muito sensível para eles, e é normal que eles só aceitem comida de uma ou duas pessoas.

Se seu bebê não come de jeito nenhum e chega com muita fome e irritação da escola, é necessário mudar a estratégia rapidamente.

Sono

A maioria dos bebês só consegue dormir em lugares onde se sentem seguros.

Portanto, se ele está fazendo as sonecas na escola e sendo respeitado nos horários que costuma dormir, é um grande sinal positivo de que tudo está fluindo bem.

Converse sempre com os cuidadores sobre possíveis treinamentos de sono, já que infelizmente muitas escolas fazem com as turmas para que todos durmam no mesmo horário e sozinhos.

A OMS e a SBP não recomendam que nenhum bebê seja deixado sozinho em um berço chorando, e é dever da escola acolher a adaptação da soneca enquanto o bebê não entra na rotina com os amiguinhos.

Urina e fezes

O xixi é um pouco mais involuntário, mas se seu bebê consegue evacuar na escola, também é um grande sinal de que ele se sente seguro lá.

Quem aqui já conheceu alguém que só consegue ir no banheiro em casa e fica constipado sempre que viaja?

Com os bebês isso também pode acontecer, então é importante que a escola relate quantas fraldas são trocadas por dia e se eles estão evacuando.

 

Assim como esses sinais, a felicidade e afeto dos nossos filhos com o passar do tempo precisam ser observados o tempo todo. Prepare-se para que ele chore durante alguns dias e saiba que o choro é a comunicação principal deles para dizer que ficarão com saudades de nós.

Com o tempo, esse período passa e sobram apenas boas lembranças.

Boa sorte!

Andressa Rosa

Eu era roteirista, aí virei mãe da Malu e nunca mais consegui parar de falar sobre isso. Hoje tenho um blog, um podcast e muita história boa pra contar!