Situação frustrante e que ninguém espera é chegar em casa após uma viagem deliciosa e não ter uma foto que preste da experiência, né?

Para mim, alguns acessórios são indispensáveis, principalmente porque viajo muito sozinha e, muitas vezes, em lugares mais inóspitos, não é possível contar com a ajuda de um desconhecido.

Para eliminar de vez as chances de fracassar nessa tarefa, a fotógrafa profissional premiada Claudia Ruiz dá dicas infalíveis para fotos de viagem perfeitas. Confira a seguir:

  • Faça muito mais fotos horizontais (modo paisagem) do que verticais (modo retrato) pois as horizontais mostram mais o ambiente;
  • Evite o uso do flash. Ele é uma luz artificial que muda completamente o clima original;
  • Se você viajou sozinho, evite as famosas selfies. Peça a alguém para tirar um retrato seu com um plano mais aberto, mostrando onde você esteve. Caso não tenha ninguém a quem pedir, por que não utilizar os famosos paus de selfies, bem mais compridos que os nossos braços? Ou um tripé? Apesar de ser pouco prático, num local onde não há muitas pessoas passando, ele pode ser bem útil quando utilizado com um temporizador ou controle remoto para disparar a câmera;
  • Lembre-se sempre de mostrar o que existe em volta de você caso queira sair na foto;
  • Inclua, sempre que possível, pessoas ou animais que façam parte daquele cenário;
  • Evite fotos clichês que podem ser encontradas no Google ou em qualquer cartão postal. Personalize suas fotos;
  • Utilize planos abertos, médios e fechado (detalhes);
  • Além das paisagens, inclua também fotos da culinária local e das pessoas que fazem parte dos locais por onde você passou;
  • Faça fotos noturnas. Nesse caso, um tripé é superútil;
  • Caso esteja com uma câmera semi profissional, vale muito a pena sair pra viagem dominando os recursos que as câmeras oferecem, como modo retrato, modo noturno, modo paisagem, etc.

Segundo Claudia, as fotografias são como memórias, que levam a uma viagem no tempo e nos fazem reviver todos aqueles momentos novamente. “Por isso, sempre convido a uma reflexão: pense nas suas fotografias como num tesouro pessoal, como uma herança que você deixará. Fotografias contam histórias e ajudarão nossos filhos, netos e as gerações futuras a conhecerem quem fomos e como vivíamos”, opina.

Para a fotógrafa, uma boa fotografia é aquela que evoca sentimentos em quem vêm, que faz os olhos passearem por ela, que faz refletir, que instiga a imaginação das pessoas. “E isso vai muito além da técnica, do enquadramento ou do foco perfeito”, finaliza.

Paty Moraes Nobre

https://jovempan.uol.com.br/guiasp

Jornalista e agitadora cultural, atuou como repórter em rádios como Jovem Pan e Band, videorrepórter na TV Cultura, editora de notícias, lifestyle, TV e Cultura nas empresas Globo.com, Editora Globo, Caras e Portal iG. Casada e mãe, escreve sobre gastronomia no Portal UOL, é colunista da Exame Vip, da Editora Abril, e coordenadora das plataformas Mulheres da Pan e Revista Guia SP, da Jovem Pan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *