À medida que nos conectamos com o mundo após dois anos de pandemia, a vontade de viajar esbarra com um dos mais altos patamares do dólar e euro na história. A boa notícia é que viajar em 2022 pode ser uma experiência incrível e acessível – é só saber como escolher o destino certo para aproveitar sem gastar tanto.

Nossa América do Sul oferece destinos espetaculares para viajar, a poucas horas do Brasil e bastante econômicos se comparados a outros lugares do mundo. 

Há muito para explorar e descobrir em nossos países vizinhos: o deserto mais alto e árido do mundo, vulcões espetaculares, cidades coloniais históricas, a mais extensa cordilheira de montanhas do planeta, sabores fascinantes,   monumentos arqueológicos e grandes tesouros. 

Aproveite o câmbio mais vantajoso, a similaridade de idioma e cultura, além da facilidade de viajar pelos países do Mercosul. Conheça 10 lugares fantásticos da América do Sul para conhecer ainda neste ano:

Patagônia Verde, um destino pristíno no Chile. Foto: Virginia Falanghe

 

Ushuaia, Argentina

 

O fim do mundo fica na América do Sul, mais especificamente na cidade de Ushuaia, localizada na Patagônia Argentina. A cidade mais ao sul do planeta é o destino perfeito para famílias e apaixonados por ecoturismo. 

A região é repleta de ilhas, lagos, glaciares, trilhas, trekking e paisagens que receberam Charles Darwin e contribuíram para as primeiras ideias da Teoria da Evolução. Não à toa, a vida selvagem é um dos principais atrativos da região: no Canal de Beagle, que separa a Argentina do Chile, além de ligar os oceanos Pacífico e Atlântico,é possível visualizar muitos leões-marinhos, incontáveis pinguins e aves.

Em sua visita, não deixe de conhecer o Glaciar Martial. No inverno funciona um centro de esqui, mas em qualquer época do ano é possível fazer trilhas e caminhadas. Fica a 7 km do centro de Ushuaia, onde você pode chegar por conta própria ou com transfer, através de agências de turismo.

Aos apaixonados por hiking, como eu, não deixe de conhecer a Laguna Esmeralda. O verão é uma das melhores épocas para conhecer. Para visitar, é preciso contratar um guia de turismo para percorrer a aventura de caminhar por 9km em meio a florestas com muita neve e um solo alagado.

Ir até o extremo sul do planeta pede uma visita ao trem do Fim do Mundo. Localizado dentro do Parque Nacional Terra de Fogo, a locomotiva servia no passado para conduzir presos que passavam o dia trabalhando no Parque. 

Hoje, o trem é um dos passeios mais icônicos em Ushuaia.

Depois de um longo dia de passeios, nada como voltar para um centrinho  repleto de lojas e restaurantes saborosos. É na Avenida San Martín onde ficam os principais estabelecimentos e estão localizados os melhores hotéis de Ushuaia.

Para chegar em Ushuaia, não há voos diretos do Brasil, é necessário realizar paradas em Buenos Aires ou El Calafate. Não se esqueça de fazer um seguro viagem para aproveitar a Argentina com segurança e ir com as roupas apropriadas para a viagem.

 

Perito Moreno, Argentina

 

Esse é outro destino fantástico da América do Sul. O Perito Moreno é um glaciar localizado no Parque Nacional los Glaciares na cidade de El Calafate, província de Santa Cruz.

Com 60 metros de altura e 5 km de comprimento, sua extensão total é semelhante ao tamanho da cidade de Buenos Aires. Uma das preciosidades do glaciar é que ele é a única geleira do mundo que está aumentando, e não diminuindo.

Partir de El Calafate é a forma mais rápida de chegar ao Perito Moreno. São apenas 80km de distância. É recomendado que esse trajeto e a visita a geleira seja feita com acompanhamento de uma agência com guia.

Os passeios oferecidos pelas agências incluem o ingresso para entrada no Parque Nacional los Glaciares + transporte até o Parque + navegação a bordo de um barco até os paredões das geleiras.

Se você optar por não fazer a navegação, pode ter uma visão panorâmica de grande parte dos paredões a partir de 2km de plataformas estruturadas em frente às geleiras.  

Dessa mesma plataforma você terá a chance de ver enormes paredões de gelo se desprendendo das geleiras. Um fenômeno incrível.

 

Torres del Paine, Chile

 

No sul da Patagônia chilena, fica uma das maravilhas naturais mais exuberantes do mundo, Torres del Paine. Trata-se de imponentes montanhas rochosas esculpidas ao longo dos anos pelo gelo, ventos e terremotos.

Localizado na Região de Magalhães, o acesso mais fácil é através da cidade de Puerto Natales. Há inúmeros hotéis e estâncias ao redor do parque com serviço completo, com mais comodidade, como sistema all-inclusive, pacote de passeios, guias e traslados para o parque.

Observe espécies de animais silvestres exóticos, que são protegidos da extinção, como: corujas, emas, gaviões, puma, raposa vermelha, bem como os peixes e a flora local com 274 espécies.

Um lugar perfeito para os amantes da natureza e lugares selvagens no Chile

O ‘Circuito W’ é um dos trekkings mais conhecidos do mundo, já que pode chegar a 4 dias de duração ao redor de montanhas e vales entre as Torres.

A Patagônia Chilena rende inúmeros roteiros. Você também pode aproveitar o roteiro pela Patagônia Verde, próximo a Puerto Montt. 

Não há como deixar o Chile de fora de um roteiro pela América do Sul. Além de sediar as belas paisagens das Torres del Paine, é o país onde está localizado o Deserto do Atacama. Para entrar no Chile, o seguro viagem é obrigatório.

 

 

Atacama, Chile

 

San Pedro é o nome do vilarejo que abriga o incrível Deserto do Atacama, ao norte do Chile. Para chegar ao vilarejo, os voos chegam pelo aeroporto da cidade de Calama, a 100 km de distância de San Pedro de Atacama

O deserto mais seco e mais alto do mundo (2.450 metros) é um destino espetacular. Em seus mais de 105 mil km de extensão, é possível conhecer vulcões, gêiseres, vales, lagoas, termas e ao cair da noite admirar o céu de um dos melhores destinos de observação astronômica do planeta.

É impossível estar no Atacama e não conhecer a cordilheira de sal com as majestosas montanhas formadas ao longo de milhões de anos. O deserto também abriga o Vale da Lua e o Vale da Morte que merecem uma visita. O primeiro vale tem esse nome por lembrar o solo da lua. O segundo foi batizado assim por parecer que a vida é impossível nesse ambiente árido.

As lagoas também são paradas indispensáveis. A Laguna Tebinquiche abriga um imenso deserto de sal cheio de flamingos voando por aqui. Já na Laguna Cejar, é possível contemplar uma das paisagens mais lindas do deserto: águas azul turquesa, o vulcão Licancabur ao fundo e o brilhante deserto de sal que parecem cristais de diamantes. Essa é a famosa lagoa que ‘ninguém afunda’, devido à alta concentração de sal (mas não passar frio lá dentro, aí é outra história).  

Como se não fosse o bastante, a região ainda é palco do fenômeno dos Gêiseres del Tatio, onde a água quente do vulcão sai pelas fendas das pedras quando entra em contato com o ar gelado, transformando-se em vapor. 

A verdade é que você pode passar meses no Atacama e ainda não conhecer a infinidade de segredos bem guardados da região. Não deixe de conheceras Lagunas Escondidas de Baltinache, Piedras Rojas, Termas de Puritama, Tours Astronômico e a ida ao Salar de Uyuni o imenso Deserto do Sal da Bolívia. 

 

Salar de Uyuni, Bolívia

 

Você já ouviu falar do maior deserto de sal do mundo?

O Salar de Uyuni, localizado na Bolívia, é um dos lugares mais impressionantes da América do Sul. 

A maioria dos viajantes chega no Salar de Uyuni através do Atacama, já que a distância entre o Deserto do Atacama e o Salar de Uyuni é de aproximadamente 450 quilômetros. 

Existem agências que fazem a travessia entre o Atacama e o Salar e a viagem pode durar de 3 a 4 dias, passando por diversas atrações, como a Laguna Blanca, Laguna Verde, o surreal Disierto de Daly, as piscinas de águas termales, os geiseres Sol de la Mañana, um conjunto de fontes que brotam água do solo a 90°C, e a Laguna Colorada.

No 2º dia de expedição são visitados o Salar de Chiguana até chegar ao povoado de San Juan.

A chegada ao Salar de Uyuni acontece normalmente no 3º dia de expedição onde ocorrem as visitas a Isla Incahuasi, situada no centro do salar, formada por rochas calcárias com restos de corais e conchas marinhas.

No Uyuni é possível fazer um tour pelo Museu de Sal, Montones de Sal (uma “fábrica de produção de sal”), parada para compra de artesanato no povoado de Colchani e ver o famoso cemitério de trens.

O passeio ao Salar alcança altitudes superiores aos 4 mil metros, ou seja, mesmo no verão as temperaturas ficam bem baixas à noite e ao amanhecer.

A época mais disputada para realizar o passeio no Salar de Uyuni é nos meses de outubro a março, pois é verão, quando o Salar fica molhado, dando aquele famoso efeito espelhado.

 

 

Machu Picchu, Peru

 

Machu Picchu: a cidade sagrada Inca é o lugar mais fascinante, misterioso e visitado do Peru. 

Para chegar, é preciso viajar de Cusco até Águas Calientes, a cidade mais próxima a Machu Picchu. Há quem encare a famosa Trilha Inca, com duração de 3 a 7 dias a pé – mesmo caminho feito pelos povos originários. Se você busca conforto, a melhor opção é pegar um trem de Cusco até Águas Calientes.

Ao chegar em Machu Picchu, todos se deparam com aquela imagem de cartão-postal: Huayna Picchu, a montanha mais famosa que abriga a cidade sagrada em seus vales. 

Na cidade inca você pode visitar a Intipunku, mais conhecida como Porta do Sol, que já foi a entrada principal de Machu Picchu. Foi construída em homenagem ao Deus Sol e está estrategicamente posicionada para que o solstício de inverno apareça.

O Templo das 3 janelas, localizado na cidade, fascina pela precisão dos incas no encaixe das pedras. A construção milenar foi feita sem ajuda de qualquer tecnologia ou máquina, apenas com o extenso conhecimento em arquitetura e engenharia inca.

Vale passar pelo Templo do Sol, que era utilizado para cerimônias religiosas. É a única construção de Machu Picchu em formato semi circular. Também é possível observar o Intihuatana, o relógio solar e astronômico dos incas.

Há também as incríveis fontes de água espalhadas pela cidade sagrada. Uma verdadeira demonstração do conhecimento de engenharia hidráulica do povo Inca. As fontes e canaletas de água irrigavam Machu Picchu por inteira, principalmente para a agricultura local, mas também para consumo na parte urbana da cidadela.

Alpacas e lhamas são atualmente as únicas residentes da cidade sagrada e você vai amar observá-las de perto.Uma dica de suma importância é que você leve protetor solar, boné ou chapéu, vá de tênis e leve uma mochila com água e alguns alimentos, já que dentro do sítio não existem pontos de venda.

Para quem vai passar mais dias em Cusco, pode fazer outros passeios e tours tão interessantes quanto, como as ruínas de Pukapukara, Ollantaytambo, Chinchero e Pisac.

 

 

San Andrés, Colômbia

 

San Andrés é conhecida por ostentar o mar das setes cores do Caribe colombiano.  Pequena no tamanho, mas grandiosa em belezas naturais, San Andrés é uma ilha do Caribe conhecida por ter areia brancas e praias paradisíacas. 

No seu primeiro dia, após se acomodar em um dos melhores hotéis em San Andrés, sugiro que conheça atrações como o Hoyo Soplador, onde as rochas expelem jatos de água bem altos. O fenômeno acontece devido à movimentação da água do mar e do vento.

Aproveite também o dia na cidade para conhecer o clássico bairro La Loma, com uma arquitetura colonial e uma linda vista para a ilha.

Feito isso é hora de conhecer as belíssimas praias de San Andrés: 

 

  • Comece pela Cayo El Acuario, a praia é um aquário natural repleto de corais, peixes e animais marinhos.
  • Johnny Cay – O passeio para a ilha costuma ser feito em conjunto com o El Acuario e você consegue usufruir do dia no estilo 2 em 1.
  • Spratt Bight é a praia central da Ilha, o mar é transparente e você pode aproveitar o vento da área para praticar o kitesurf.  

 

Se fizer escala em Bogotá,  vale a pena aproveitar um dia pela cidade seguindo este roteiro.

 

Vulcão Quilotoa, Equador

 

Você sabia que o Equador é o país dos vulcões? Ao redor de Quito, capital do país, ficam dezoito.

Um dos mais visitados é o Quilotoa, um vulcão inativo localizado a aproximadamente 180 quilômetros de Quito. O topo do vulcão fica a mais de 3.900 metros de altitude e no fundo encontra-se a Laguna del Quilotoa, cujas águas mudam de cor entre azul e verde de acordo com a claridade do dia ao longo de seus 3 quilômetros de diâmetro e 250 metros de profundidade. No topo, há diversos mirantes para admirar tamanha beleza.

Os visitantes mais aventureiros – e com o fôlego em dia – podem fazer outros passeios como a volta completa no topo do vulcão, um percurso de cerca de 13 quilômetros, com duração de 5 horas.

Outro passeio incrível é a descida por uma trilha de 3,6 quilômetros até a Laguna del Quilotoa. Lá embaixo, você pode curtir outra perspectiva do vulcão e até fazer um passeio de caiaque. 

 

 

Arquipélago de Galápagos, Equador

 

Um dos destinos mais fascinantes do planeta quando falamos em vida selvagem são as Ilhas de Galápagos, localizadas a 1.300 km de Quito.

No arquipélago você encontra baleias, tartarugas gigantes e leões marinhos em seu habitat natural, conhece belas praias de areias vermelhas e santuários de pesquisas científicas. É um prato cheio para amantes de ecoturismo. 

A sua formação é baseada em costas rochosas e montanhas vulcânicas, o que faz do arquipélago um lugar ímpar no mundo inteiro, habitat especial e remoto para inúmeras espécies de vegetações e também de seres vivos. 

Logo depois de passar pelo Canal de Beagle, em Ushuaia, foi aqui que  Charles Darwin estudou ainda mais e originou as teorias sobre o desenvolvimento das espécies: a teoria da evolução.

 

 

Colonia del Sacramento, Uruguai

 

Colonia del Sacramento é uma cidade do Uruguai fundada pelos portugueses em 1680 e parece que parou no tempo. Visitá-la é sentir a sensação de estar numa cidade fortificada do século XVII.

As ruas de pedra e arquitetura colonial contribuíram para que em 1995 fosse declarada pela Unesco como Patrimônio Cultural e Natural Mundial.

Mas afinal, o que fazer em Colonia del Sacramento

A maior parte das atrações de Colônia de Sacramento está no Centro Histórico da cidade:

 

  • A Puerta de la Ciudadela, também conhecida como Portón de Campo, foi construída em 1745 e era parte da estratégia de proteção de Colônia. Com uma ponte levadiça, era o único ponto de acesso para a cidade. Assim como outros monumentos, a construção passou por restaurações, mas preserva ainda seu caráter original.
  • A Calle de los Suspiros é a rua mais antiga de Colônia e conserva seu aspecto original. Ao redor da Plaza de Armas ficam hotéis, atrativos turísticos, cafeterias e restaurantes.
  • Em Colonia também existem alguns museus que contam a história da cidade. Entre eles o Museo Naval, que envolve a história e os conflitos navais que ocorreram no país.
  • Há ainda o Museo del Azulejo, que exibe azulejos de diferentes países; o Museo Português, que possui objetos utilizados pelos portugueses, e o Museo Municipal.

 

Para ter uma vista panorâmica da cidade, a recomendação é subir até o farol. A construção concluída no ano de 1857, possui 26 metros e tinha a intenção de iluminar as noites da região. Hoje, ainda é possível conhecer as ruínas do Convento de San Francisco que está sob o Farol. 

Inclua Colonia del Sacramento no seu roteiro e respire a história presente em cada cantinho da cidade enquanto caminha por suas ruas de pedra e observa as ruínas e os prédios históricos que as cercam. Não esqueça do seguro viagem para o Uruguai. 

 

E aí gostou dessas indicações? Você já esteve em algum delas?

 

Boa viagem!

Virginia Falanghe

https://vivaomundo.com.br/

Jornalista, apaixonada por viagens, natureza, aventuras e em compartilhar dicas para ajudar mais pessoas a viajarem mais e melhor. Quando não está viajando, está lendo, escrevendo ou falando sobre destinos do Brasil e do mundo. Já pisou nos cinco continentes e fez algumas paradas longas para morar na Austrália, Estados Unidos, Canadá e Portugal. Atualmente, mora em São Paulo e escreve dicas de viagens no site da Jovem Pan, integra a equipe do programa Mulheres da Pan como especialista em turismo e também é editora-chefe dos sites Dicas de Viagem, Viva o Mundo e Pousadas Incríveis  Uma boa leitura e ótimas viagens.