Notícias

Público e privado são capazes de coexistir; entenda a discussão

O Fórum Jovem Pan Mitos & Fatos – Empreendedorismo de Impacto discutiu no painel Sociedade 4.0, nesta sexta-feira (6), os entraves que a atuação excessiva ou ineficiente do governo pode dificultar no avanço social. O diretor de jornalismo do Grupo Jovem Pan, Felipe Moura Brasil, recebeu os convidados Edu Lyra, CEO da ONG Gerando Falcões, Cláudio Lottenberg, presidente do Hospital Albert Einstein, e Gustavo Montezano, presidente do BNDES.

Lyra abriu sua fala ressaltando que é preciso reconhecer as dificuldades sociais e que não é possível que uma pessoa “salte obstáculos”. O empreendedor ressaltou que “o meio onde você vive joga um vírus na sua cabeça. E esse vírus vem dizer que você não pode”. Para ele, o que a pessoa não deve fazer é “se entregar” e aceitar que é incapaz.

Edu Lyra afirmou que não são apenas as classes mais baixas que precisam desse “anti-vírus”. ‘Todos nós precisamos passar o antí-vírus porque se não vamos ficar brigando entre si”. E completou que a melhor forma de diminuir a desigualdade é “distribuindo habilidades”.

Cláudio Lottenberg, presidente do Albert Einstein, trouxe à tona a possibilidade do sistema privado e público de saúde se ajudarem. “Vamos desburocratizar, desregulamentar, separar o mundo privado do mundo público. Tem muita solução simples que não precisa de um centavo”, disse.

Lottenberg ressaltou que “é um equívoco achar que o privado tem todas as respostas”. Mas destacou que também é errado descartar o sistema privado de saúde no auxílio ao público. “O Einsten aprendeu muito quando foi cuidar do paciente do SUS”, afirmou.

Gustavo Montezano, presidente do BNDES, comentou que a função do banco na sua gestão será a de “melhorar a vida do cidadão brasileiro”. Para ele, chegou a hora do BNDES “economizar o dinheiro do trabalhador e só usar se necessário’.

Montezano afirmou que a instituição terá uma função de investimento e propósito, não apensar pensar apenas no lucro. “Acho que esse é o melhor momento para empreender da nossa geração. Estamos vivendo o melhor momento para o empreendedorismo nacional”, concluiu.