Notícias

Como eliminar os lixões das grandes cidades?


Anualmente, o Brasil produz 125 milhões de toneladas de lixo e grande parte desses dejetos são encaminhados para os lixões, uma das piores formas de se livrar do resíduos que uma população produz, já que os despeja diretamente no solo.

Discutir maneiras de descartar o lixo de uma forma mais comprometida com o meio ambiente é extremamente necessário para evitar que o chorume, derivado da descomposição do lixo e conjunto com a unidade, contamine o lençol freático e emita gases tóxicos.

Valéria Michel, diretora de Meio Ambiente da Tetra Pak, empresa que há mais 20 anos apoia programas e cooperativas de reciclagem, destaca a reciclagem como uma das alternativas aos lixões. “No caso da telha de Tetra Pak, há uma grande vantagem porque, por ser de alumínio, ela acaba causando uma sensação térmica muito melhor e, ambientalmente falando, tem um impacto muito menor”, afirma a executiva, citando um dos usos possíveis desse material.

Brasília tem o maior lixão da América Latina, o da Estrutural, a apenas 15 quilômetros da Esplanada dos Ministérios. Isso porque, segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos, todos os lixões deveriam ter sido extintos em 2014.

Uma opção para eliminar esse e outros lixões seria fazer um aterro sanitário, que prevê a instalação de uma espécie de plástico bem grosso por baixo do lixo, impedindo a contaminação do solo.

“Literalmente, continuam depositando os resíduos em locais e desperdiçando um recurso importante que poderia gerar mais empregos e mais receita”, completa Carlos Silva Filho, presidente da Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), enfatizando que a discussão sobre a extinção dos lixões está parada no Congresso Nacional.

“Enquanto esse lixão e outros continuarem funcionando vamos maximizar essa poluição, fazendo com que ela chegue a um ponto irreversível. A sociedade civil não pode aceitar essa herança maligna para as próximas gerações”, completa.

No mundo, cada país lida com seu lixo de uma maneira diferente. Em locais como Suíça, Alemanha, Áustria, Holanda, Suécia, Dinamarca e Bélgica, menos de 5% dos resíduos sólidos são enviados para aterros sanitários, aproveitando, de alguma forma, o restante. Em Paris, na França, o lixo é incinerado e o vapor entra na rede de calefação, aquecendo prédios inteiros.

Esse e outros temas referentes ao futuro nas grandes cidades serão abordados no fórum Mitos & Fatos – Jovem Pan Discute, que acontece no dia 24 de abril, em São Paulo, e será transmitido ao vivo em multiplataformas. Fique ligado!