O filme Shazam!, que acaba de estrear na cidade, apela para os super-poderes do humor (ainda bem!)

Shazam: um garoto de 14 anos no corpo de um super-herói adulto

De Paula Carvalho

Não, você não é a única que se sente uma ET em meio ao bombardeio de filmes de super-heróis. Por dever profissional e uma boa dose de curiosidade (como é que tanta gente gosta disso?), tenho peregrinado os últimos anos por todas as sessões do gênero. Uma das façanhas da qual me orgulho foi ter entendido a história de Vingadores. Não é fácil para quem não sabe detalhes da origem do Homem de Ferro ou as diferenças entre o Senhor Fantástico e o Falcão.

Mesmo quem cai de para-quedas nesse universo sabe que existe uma pinimba entre Marvel e a DC. É uma espécie de Fla x Flu geek. Uma turma acredita que os filmes Marvel são claramente melhores. Outros torcem pela DC. Já eu rezo pra entender do que se trata a história e sair minimamente feliz do cinema.

No meu balanço particular sobre esses longas, os que mereceram as melhores cotações têm uma coisa em comum: o humor. Parece um elemento óbvio diante do desfile na tela de personagens com roupas coladas e coloridas, um look digno de figurar no carro abre-alas de uma escola de samba. Mas tem uma turma que se leva a sério. Batman está sempre zangado, Superman vive apurado para salvar o mundo e Wolverine anda sempre com cara de poucos amigos (tá bom, pode ser que eu goste um pouco de Wolverine).

Eu prefiro quem segue na direção contrária, ou seja, os heróis que têm a dose certa de descompromisso para nos presentear com situações engraçadas. Você acaba rindo, não importa o número de HQs que já consumiu sobre o personagem em questão. Por isso, gostei dos dois episódios de Guardiões da Galáxia, do subestimado Homem Formiga e do Deadppol, esse anti-herói capaz de arrancar gargalhadas de tão politicamente incorreto que é.

É por esse motivo que pretendo, sim, dar uma chance ao recém-lançado Shazam!. Pensa só se não vai ser engraçado acompanhar um garoto de 14 anos se adaptar à carcaça de um super-herói adulto chamado Shazam ( Zachary Levi). O garoto manda um SHAZAM!, e se transforma em um ser poderoso, mas não sabe bem quais são seus poderes ou como usá-los. Promessa de muitas risadas e de satisfação garantida.

MInha galeria de filmes super-bem-humorados:

Guardiões da Galáxia 1 e 2: 

Essenciais para compreender Vingadores, pois introduzem Thanos ao público. Apresenta Peter Quill (Chris Pratt) e sua turma. Todos imperfeitos, cheios de carisma e ironias. A trilha sonora com hits retrô é maravilhosa.

 

Homem Formiga e Homem Formiga e a Vespa

Imagina só vestir um uniforme que reduz a a pessoa ao tamanho de uma formiga? A arte de diminuir e aumentar de tamanho não é lá tão simples, mas será dominada por um pai solteiro que muitos acreditam ter respostas que podem levar à derrota de Thanos.

 

Deadpool e Deadpool 2

Cheio de ironia, piadas adultas e violência, o filme acabou sendo recomendado para maiores de 16 anos. O anti-herói Wade Wilson é um ex-agente especial que passa a trabalhar como mercenário. Em um painel recente da CinemaCon, o executivo da Disney Alan Horn garantiu aos fãs que mais filmes do Deadpool serão lançados nos próximos anos.