Pular para o conteúdo

The Circle Brasil | Um dos piores reality shows que já assistimos

The Circle Brasil | Um dos piores reality shows que já assistimos

Saca o sentimento de vergonha alheia? Pois é… The Circle Brasil causa isso e muito mais!

Cá estamos em quarentena e todos em um relacionamento sério com a Netflix, Amazon e etc, certo? Pois é. Foi nessas que resolvemos dar uma “bizoiada” em The Circle Brasil, um reality show “comandado” por Giovanna Ewbank, uma atriz, apresentadora e influencer que – apesar de linda e uma humana bastante “iluminada”, não sabe o que está fazendo em The Circle. Mas já chegaremos nisso.

The Circle Brasil 

A base do programa é o confinamento de pessoas “influencers” que criam seus perfis online e interagem com os outros participantes pelo sistema do The Circle. Eles não trocam fotos, vídeos e as informações de cunho pessoal são bem restritas. Durante o dia, eles conversam via chat (onde ditam para o sistema o que querem falar) e brincam com jogos interativos. Além disso, algumas conversas são propositalmente levantadas para criar estranhamento entre eles e, ao final do dia, os participantes avaliam seus amigos e os mais legais/influenciadores são eleitos.

Os dois “vencedores” escolhem o jogador que será bloqueado, logo, demitido do The Circle. Antes de ir embora, o influencer desligado pode escolher uma pessoa que ainda está no jogo para conversar pessoalmente. É neste momento que a sua identidade virtual é comprovada como verdadeira ou falsa, já que alguns jogadores criam perfis fakes para jogar.

Durante o confinamento, os jogadores falam “sozinhos”, cozinham, se exercitam e criam estratégias de como ser queridos pelos demais participantes. A única imagem que os jogadores têm acesso é a do perfil ou alguma outra imagem específica que o próprio sistema solicita que eles divulguem em seu perfil virtual.

É muito bizarro…

Sim, The Circle Brasil deveria se chamar “The Circus Brasil” (Circus = circo), por que é um show de horror. Além de alimentar essa febre online de ser “influencer”, as personas escolhidas nesta primeira temporada são extremamente caricatas. Ao invés do programa – já que é um adaptação do programa americano – tentar propor que os perfis fakes sejam criados por pessoas fora dessa realidade online, não… Aqui lidamos com os estereótipos mais manjados das redes sociais. E sinceramente, nem vale muito explicar um a um. Assistam.

Como assim “assistam”?

É bem difícil avaliar os personagens de The Circle Brasil, há grandes chances de você, caro leitor, entender errado as nossas palavras e achar que estamos criticando as personas. Na verdade a culpa não é delas, nem existe culpa, existe apenas a imbecilidade de reforço de estereótipos e militância desenfreada por meio dos participantes, tornando o programa como um dos piores reality shows nacionais que já assistimos.

Não tem propósito ALGUM você dar “voz” para quem já tem uma linha de raciocínio e posicionamento social. Nós genuinamente gostaríamos de ver pessoas reais tentando virar influencers, seria muito mais interessante e BEM menos cansativo.

Vale a pena?

Sinceramente, não sabemos. Ao mesmo tempo que é aterrorizante e cansativo ouvir “The Circle…mensagem” 400 vezes durante um episódio de 40 minutos, há um certo instinto de curiosidade que instiga o expectador a continuar assistindo.

Giovanna Ewbank, a “apresentadora”

Adoramos como as aspas dominam a crítica prévia dessa bodega. A atriz, apresentadora e influencer foi escolhida como apresentadora da primeira edição. Bem, ela gravou o trailer e uma chamada de abertura, por que ao longo dos primeiro quatro episódios, somos contemplados apenas com sua narração desinteressante que não agrega em nada e é extremamente pontual.

Ou “séje”, por que caramba a escolheram como apresentadora? Não faz muito sentido, sabe?

Enfim, The Circle Brasil já tem os primeiros episódios disponíveis na plataforma da Netflix e semanalmente eles liberam mais episódios. Outro ponto curioso é que quando um participante é eliminado, outro entra no lugar. Então até o momento não há uma redução do quadro de participantes, apenas o sistema sendo retroalimentado. É tudo bizarro e sim, há vários momentos de vergonha alheia. Brasileiro fazendo brasileirices em prol de um falso sucesso.

Sim, todos serão esquecidos muito em breve.