Pular para o conteúdo

CRÍTICA | Espírito em Família chegou nas plataformas digitais e vale cada minuto!

Divulgação
CRÍTICA | Espírito em Família chegou nas plataformas digitais e vale cada minuto!
Já disponível nas plataformas digitais, que tal apostar em um longa que vai te surpreender?

Espírito de Família já está disponível para compra e aluguel nas plataformas e merece a sua atenção 

Se existe um tema que sempre mexe com as pessoas quando vão aos cinemas são os tradicionais dramas familiares. Muitas vezes eles estão contidos em grandes sagas como O Poderoso Chefão ou Guerra nas Estrelas, ou mostrando no cotidiano de famílias suburbanas como Parenthood (1989), Meu Pai –  Uma Lição de Vida (1989) e Três Solteirões e um Bebê (1990). Em praticamente todos esses filmes, a chave central da trama é a tentativa de colocar pai e filho um do lado do outro, esquecendo os dramas passados para seguir em frente.

Não sei se essa foi a intenção de Éric Besnard, que escreveu e dirigiu o sensível e divertido Espírito de Família. Responsável pelo drama romântico O Sentido do Amor (2015), ele decide mostrar essa relação entre pai e filho com um viés, como lembra o título, espiritual. A história começa num típico final de semana na casa de Jacques (François Berléand), que fica belíssimo litoral da Bretanha, a sudeste da França.

Bon vivan, Jacques gosta de incomodar Alexandre (Guillaume de Tonquédec), o filho escritor que aproveita o local paradisíaco para tentar escrever outro livro. A preocupação não revelada do pai é que o filho deveria se conectar mais com sua família, especialmente com o filho mais novo, neto de Jacques, que sofre em silêncio a separação recente dos pais. Mas Alexandre segue ignorando tudo, até que o pai tem um ataque do coração e morre na sua frente. E tudo muda na vida deste jovem.

Não, ele não vai sentir remorso pela morte de Jacques, por que o espírito do pai começa a ficar ao seu lado, ao estilo de Dona flor e Seus Dois Maridos (1972) ou E Se Fosse Verdade (2005), cobrando que Alexandre mude o rumo de sua vida. O interessante é que tudo o que Alexandre não queria nesse momento, onde ainda está indeciso sobre sua separação e sua relação com o filho, é se “relacionar” com Jacques.

A cada momento juntos, mais revelações sobre a complicada relação entre os dois são reveladas e, ao mesmo tempo, vai despertando uma personalidade que Alexandre parece ter escondido ao longo dos anos. A cena onde destrói o carro esporte que o pai possuía é, além de muito engraçada pelo contexto (afinal ele é o único que vê o espírito do pai), mostra que existe algo na relação que pode ser resgatada.

Sim, caminhamos para um final feliz, de redenção e muita choradeira estará no caminho. Não aquela que muitos filmes lacrimogênios impõe ao espectador, mas aquele tipo de emoção que você descobre que já passou por ela, mesmo não querendo admitir. Confesso, como espectador mais experiente, que o diretor me enganou como um principiante… senti vontade de conversar com o velho Pereira, que eu não vejo há muito tempo.

Espírito de Família surpreende pela simplicidade com que o diretor e seu roteiro pegam uma ideia convencional e a transforma numa bela história de amor e de vida.

O longa já está disponível para locação e compra nas plataformas: NOW, Looke, Microsoft, Vivo Play, Google Play, iTunes e Sky Play.