Pular para o conteúdo

CRÍTICA | 365 DNI (Netflix) entrega o erotismo que Cinquenta Tons não conseguiu

Divulgação
CRÍTICA | 365 DNI (Netflix) entrega o erotismo que Cinquenta Tons não conseguiu
Eita que Cinquenta Tons que se cuide!

A comparação é inevitável: 365 DNI é um um filme erótico polonês que chegou na Netflix e “dá um pau” na franquia Cinquenta Tons, fazendo o romance de Anastasia e Christian Grey parecer filme para adolescentes

Não assista com a sua mãe, avó, pai, amiga. Assista a sós! 365 DNI chegou de mansinho na Netflix para mostrar o potencial de um filme erótico nos dias de hoje. Absurdamente cafona, com uma história forçada, um roteiro que chora frases de efeito, mas com protagonistas com ótima tensão sexual que entregam cenas de sexo quase explícitas. Exatamente o que a franquia Cinquenta Tons gostaria de ser e nunca conseguiu.

A “história” de 365 DNI

Baseado no livro erótico de Blanka Lipińska de mesmo nome, o longa é uma produção Polonesa que chegou na Netflix para conquistar uma legião de fãs com o casal Laura Biel (Anna-Maria Sieklucka) e Don Massimo Torricelli (Michele Morrone). Ela é uma gerente de vendas de um luxuoso hotel na Polônia, ele é chefe de uma máfia siciliana. Laura é daquelas que paga de mulher independente, ele sustenta um olhar intenso o tempo todo sem motivos.

No aniversário de 29 anos de Laura, ela está de férias na Sicília com o namorado, a melhor amiga e mais umas pessoas. No meio da festa, a jovem é sequestrada por Massimo e levada para sua cenográfica e majestosa mansão. O acordo proposto pelo garanhão italiano é: Laura tem 365 dias para se apaixonar por ele. Caso isso não aconteça, ele a deixará ir.

Por que ela sequestrada? Pouco importa! 

Laura se vê “sem opção” e entre tentar fugir e tomar uns enquadres dos capangas de Massimo ou tentar se aproximar do rapaz para negociar uma “fuga”, ela se entrega para o seu charme e olhar sedutor. Óbvio que Massimo ajuda (e muito) para que a moça caia em seus braços mais rapidamente. Entra em cena momentos de tortura psicológica, carinhos brutais e provocações que envolvem BDSM.

Cenas de sexo quase explícitas

Com jogadas de câmera bem ousadas, preparem-se para sequências picantes e cheias de “I do not make love, I fuck hard” de verdade. #TomaChristianGrey! Obviamente que o filme tenta problematizar a relação dos dois. Laura retorna para polônia depressiva depois da surra de intensidade do italianão e o futuro do casal fica indefinido.

O final do longa é péssimo, os personagens periféricos da vida do casal são péssimos e 365 DNI, no final do dia, é apenas uma versão mais bem produzida de Confissões Eróticas do canal Cinemax (exibido na faixa da madrugada nos anos 90) e serve também para a gente fazer mil comparações com a saga Cinquenta Tons.

365 DNI x Cinquenta Tons

Quando falamos que as comparações são inevitáveis, este longa trás tudo o que vimos em Cinquenta Tons: de BDSM à Baile de Máscaras. Viagens em jatinhos, cenas do casal comprando roupas, cenas de sexo em locais aleatórios, alguém da família do mocinho julgando a relação e uma história baseada em uma trilogia. O livro 365 DNI foi lançado em 2018, e suas sequências – This Day e Another 365 Days – em 2019.

Além disso, só na Polônia, o filme foi exibido nos cinemas e garantiu mais de 1 milhão de espectadores. Só agora, em junho, que a produção foi distribuída mundialmente pela Netflix. Ou seja: agora o sucesso será mundial.

Vale a pena ou não?

É difícil defender, a produção tem um tipo de público e certamente vai animar muitas mulheres. Principalmente por que o ator Michele Morrone é MUITO bonito e o casal entrega uma ótima química. No exterior, as matérias enaltecem o quanto 365 DNI é tudo o que Anastasia Steele e Christian Grey foram somente nas páginas dos livros, mas que nas telonas, faltou culhão para entregar. Já alguns comentários de quem leu o livro de Blanka Lipińska afirmam que a adaptação está bem fiel.

Apesar de tudo, o gênero erótico pede uma ressurgência ou ousadia há tempos pois, afinal, sabemos que tem audiência sim. Cinquenta Tons está aí para provar que erotismo tem fãs após vender mais de 125 milhões de cópias no mundo e garantir uma bilheteria de mais de 1 bilhão de dólares. Então já estava na hora de termos o novo casal do momento.

Para relembrar

Os longas mais populares da categoria são De Olhos Bem Fechados (1999) do diretor Stanley Kubrick, Azul É a Cor Mais Quente (2013) de Abdellatif Kechiche, A Criada (2016) de Chan-wook Park, Ninfomaníaca: Volumes 1 e 2 (2013) de Lars von Trier, entre outros clássicos como Último Tango em Paris (1972) de Bernardo Bertolucci, Louca Paixão (1973), Paul Verhoeven, e Instinto Selvagem (1992) também de Verhoeven; mas poucos ganharam tanta evidência como a saga de E.L. James em função da polarização via redes sociais.

365 DNI – Parte II vem aí! 

Com isso, 365 DNI – que já tem sequência confirmada – surge em uma das maiores plataformas de streaming do mundo para bater recordes e com potencial de firmar uma nova legião de fãs que vão dar match no casal “#BielTorricelli”.

365 DNI – Livros

A trilogia ainda não está disponível em português.