Pular para o conteúdo

O novo dono da Fifa

 

 

 

O Fifa Gate foi um ótimo escândalo para o futebol. A limpeza, que poderia e deveria ser maior, pelos menos tirou de cena figuras grotescas, corruptas e habituadas a mandarem no futebol como no quintal das próprias casas. A TPA, televisão e produtora argentina lançou, via youtube uma interessante série com a versão com olhar mais da região, de tudo que ocorreu.

No transcorrer dos seis episódios de Fifa Gate para El Bien de Fútbol,  são relembradas as buscas, as capturas, as prisões e até mesmo as mortes de alguns envolvidos. Nada que fosse exatamente novo, já que até por ser o criador do sistema um brasileiro, João Havelange, sabíamos perfeitamente como as coisas funcionavam.

O que chama a atenção é o último episódio que fala do que aconteceu com os executores e julgadores das ações. E a partir daí percebemos que muitos deles trabalham, neste momento, para  própria Fifa. E que os americanos passaram a ter um comando, mesmo que indireto, também dos rumos do soccer. Já Infantino segue à risca as sugestões e até já deu uma Copa para os Estados Unidos em 2026.

O futebol trocou suas influências. Agora não são exatamente notas de dólares em envelopes, que compram votos, mas um poder maior que comanda tudo como um capataz pronto para agir se for preciso. Atualmente boa parte do dinheiro do futebol vai para os bancos americanos, saindo da Suíça, que com sua tolerância e até reverência aos corruptos, recebia de bom grado as propinas que chegavam de todos os polos do planeta. Os antigos juízes da Fifa, agora estão lá dentro, desfrutando também de bons pedaços de um bolo, que por muito tempo eles ignoraram, talvez por não saber exatamente o tamanho dele.