Pular para o conteúdo

Nasce uma estrela

 

Não vou falar do título. Nos pênaltis pode tudo. Quero falar do último momento do Campeonato Paulista. Um garotinho, cara de adolescente, na sua primeira decisão como profissional, teve o penal decisivo. Deve ter pedido para bater. Não é para qualquer um.

O menino Patrick de Paula mostrou frieza e capacidade. Tenho falado dele há alguns meses. Joga muito e rapidamente deverá rumar para o centro do futebol do mundo, que é o continente europeu. Outro dia disputava o Campeonato das Favelas. E foi lá que ficou cascudo, que aprendeu a não se assustar. Meteu no angulo a cobrança final como se fosse um veterano. Assim percebemos quando está nascendo uma estrela.