Pular para o conteúdo

VAR no Brasil virou VÁRzea

VAR no Brasil virou VÁRzea

Os pênaltis contra Palmeiras e Santos esta semana foram absolutamente ridículos. Virou queimada. A regra da mão na bola virou palhaçada no Brasil. Ontem, sem condições técnicas de TV para assegurar 100% o impedimento, anularam um gol do São Paulo que mudou o jogo. Ou seja, só nesta rodada o VAR decidiu o placar de três partidas.

Incrível.

Fui diretor de TV durante anos e posso afirmar com toda certeza que as imagens de ontem em Minas não garantem com absoluta certeza que havia impedimento. Primeiro, não dá pra saber se o “frame” ou o quadro congelado é exatamente o momento em que o passador toca a bola. Ele pode ter tocado alguns “frames” antes ou depois. Segundo, existe o efeito parallax. Impedimento não pode existir dúvida. Ou está ou não está impedido.

O problema não é o VAR, o problema é quem está atrás do VAR.

Acompanho o tênis e sou favorável ao uso da tecnologia, mas ela tem que ser bem utilizada.

No futebol brasileiro, estão chamando “replays” desnecessários. Lances que deveriam ser analisados e decididos em tempo real dentro do campo estão sendo decididos fora do campo. O árbitro principal está vendo lances em câmera lenta o que deturpa totalmente a realidade. A câmera lenta nós usamos no vídeo para dramatizar a cena, deixá-la mais emocional… Coloque uma dividida limpa na câmera lenta. Vai parecer uma agressão.

Na Champions foram raríssimas as intervenções do VAR.

Gatito Fernández fez o que todos os amantes do futebol gostariam de ter feito.

O sistema do VAR está sendo muito mal utilizado no Brasileirão.

 

Comentários

comments