Pular para o conteúdo

Raducanu, nasce uma estrela

Raducanu, nasce uma estrela

Emma Raducanu, britânica de 18 anos, vinda do qualificatório em Nova York, venceu seu décimo jogo seguido em Flushin Meadows sem perder sets e conquistou o primeiro Grand Slam da sua carreira. Raducani, 150ª do ranking, venceu na final a canadense Leylah Fernandez, 19 anos, 73ª do mundo, por dois sets a zero, parciais 6/4 e 6/3 em 1h51 de partida.

Nascida em novembro de 2002, Raducanu tem pai romeno e mãe chinesa, e curiosamente nasceu no Canadá. Mas sua família se mudou para Londres quando a filha única do casal tinha apenas dois anos e toda sua formação como tenista se deu no Reino Unido. Ela é a campeã de Grand Slam mais jovem desde Maria Sharapova, campeã na grama de Wimbledon em 2004.

Raducanu também fez história por ser a única campeã de um Grand Slam vinda do quali e como a tenista com menor número de participações em Grand Slam antes de conquistar seu primeiro título. Antes do US Open, ela só havia disputado Wimbledon há dois meses, em que recebeu o convite e chegou até as oitavas, abandonando a partida contra Ajla Tomljanovic depois de ter uma crise de ansiedade e dificuldade para respirar.

Além disso, Raducanu é a primeira britânica a vencer um Grand Slam desde Virginia Wade, campeã de Wimbledon em 1977. Wade também havia sido a única britânica a vencer o US Open na Era Aberta, em 1968. Pela conquista, a jovem Raducanu salta para o 24º lugar do ranking e se torna a nova número 1 britânica, ultrapassando Johanna Konta.

Leylah Fernandez, vice-campeã, é sem dúvida mais uma estrela da nova geração. “Ainda estou desapontada. Acho que vou carregar essa derrota por muito tempo, mas isso vai me motivar a fazer melhor nos treinos, e estar melhor na próxima oportunidade que eu tiver. Estou muito feliz comigo mesma, com a forma como competi e como atuei em quadra nas últimas duas semanas. Eu melhorei muito não só no tênis, mas também na parte emocional e mentalmente. Espero que no próximo ano seja tão bom quanto esse”, acrescenta a canadense, que vai saltar para 0 27º lugar no ranking mundial.”

Fernandez bateu grandes nomes para chegar na final. Naomi Osaka, Angelique Kerber, Elina Svitolina Aryna Sabalenka, a jovem canadense diz que não pensou em um eventual favoritismo contra Raducanu, que entrou no torneio como 150ª do mundo e disputava seu segundo Grand Slam, e também não consegue mensurar qual foi sua vitória favorita na competição. “Isso nunca passou pela minha cabeça. Eu estava muito animada para jogar uma final. Infelizmente, não fui bem e Emma foi muito bem. Então foi isso que aconteceu”.

 

Comentários

comments