Pular para o conteúdo

Flamengo deveria pagar bicho ao Pratto

Flamengo deveria pagar bicho ao Pratto

Considerado pela ala ufanista da crônica esportiva brasileira como “O maior time de futebol do planeta desde a criação da Adão e Eva”, o Flamengo venceu a final da Copa Libertadores graças ao erro bizarro de Lucas Pratto. O atacante entrou aos 29′ do segundo tempo, desperdiçou dois ataques e originou o lance que mudou a partida. Fico imaginando o elenco argentino no vestiário olhando para o Pratto.

O River Plate surpreendeu, foi melhor na partida, fez uma marcação implacável, mostrou melhor toque de bola, criou as melhores oportunidades e teve pelo menos duas chances claras de matar a partida na última meia hora. Até chegar ao empate, o Flamengo havia criado uma única oportunidade. Foi aos 11 minutos do segundo tempo, lance incrível que terminou nas mãos de Armani.

Além da qualidade técnica indiscutível, este Flamengo tem a seu favor o preparo físico. Venho falando isso há um bom tempo. É incrível como esse time consegue manter ritmo forte e intensidade durante 90 minutos.  Mesmo não fazendo uma boa partida, era esperado que o time brasileiro teria mais fôlego na reta final. O River chegou exausto nos últimos quinze minutos, não conseguia manter a posse de bola. Mesmo assim, o Flamengo não conseguia chegar com perigo, até que Pratto deu o maior presente da Libertadores 2019.

O resto da história todos já sabem, virada histórica do Mengão, bicampeão da Libertadores.

Agora o Flamengo de Jesus, após dois títulos, será considerado pelos ufanistas como o maior de todos os tempos, superando Santos de Pelé, Flamengo de Zico, São Paulo de Telê e Muricy, Palmeiras da Parmalat, Cruzeiro de Tostão e Dirceu Lopes…. Tempos modernos onde o passado é enterrado e a memória cada vez mais curta.

 

Comentários

comments