Segundo um balanço divulgado nesta segunda-feira (2) pela Prefeitura de São Paulo, 15 milhões de pessoas participaram dos blocos de rua na capital durante o Carnaval. Com isso, a arrecadação da Receita deve superar R$ 2 bilhões. De acordo com a Secretaria Municipal de Cultura, mais de 800 blocos desfilaram nos últimos 20 dias.

No domingo (1º), último dia da folia paulista, 67 desfiles percorreram as vias da cidade. Desde o pré-carnaval até este domingo, 575 blocos divertiram o público com ritmos como samba, axé, funk, pagode e paródias, além das tradicionais marchinhas. No total, desfilaram 615 blocos na cidade.

Já no Rio de Janeiro, 453 blocos levaram às ruas 7 milhões de foliões, segundo balanço divulgado hoje (2) pela prefeitura. Os desfiles que reuniram mais pessoas foram o Fervo da Lud, com 1 milhão, o Bola Preta, com 630 mil, e o Bangalafumenga, com 500 mil. Os seis dias de desfile no Sambódromo receberam 273,5 mil pessoas.

Mais de 3 milhões foram prestigiar os 77 palcos com apresentação musical, além de outros locais com bailes populares, totalizando cerca 10 milhões de foliões durante o período de Carnaval.

O presidente da Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (Riotur), Marcelo Alves, afirmou que “não houve nenhum incidente grave nos blocos”. Segundo ele, a capital fluminense recebeu 2,1 milhões de turistas, ante 1,6 milhão no ano passado. O carnaval movimentou R$ 4 bilhões na economia do Rio e a ocupação hoteleira ficou em média em 93%. Dentre os hóspedes, 77% eram brasileiros e 23% estrangeiros.

Atendimento médico, segurança e limpeza

Em São Paulo, a prefeitura realizou 3.710 atendimentos médicos  durante os 15 dias de folia. A resolução dos problemas relacionados à festa foi 100%. Desde o início do Carnaval de Rua 2020 até este domingo, 550 profissionais prestaram assistência à população.

No Rio, as barreiras de segurança montadas na entrada dos megablocos apreenderam 1.908 garrafas de vidro, 252 facas, 27 estiletes, 30 canivetes, 18 armas de brinquedo, duas de choque e 23 chaves de fenda. Foram registrados oito furtos, contra 110 ocorrências no ano passado. “Foi um carnaval de segurança. Com as barreiras de segurança, diminuímos em 90% os furtos dentro dos megablocos”, disse o secretário de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos do Rio, Felipe Michel.

A Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) recolheu ao todo 709 toneladas de resíduos. Os seis dias de desfiles na Marquês de Sapucaí geraram 332,5 toneladas de resíduos, sendo 258,1 toneladas na parte interna, 62,8 na parte externa e entorno, incluindo o Terreirão do Samba, e 11,6 de materiais potencialmente recicláveis. Durante todo o período de carnaval, foram recolhidas 119,4 toneladas de lixo dos blocos.

As equipes do Lixo Zero multaram 1.050 pessoas flagradas urinando na rua, com multa de R$ 607,54, e 64 por descarte de lixo no chão, com multa de R$ 221,75.

* Com informações da Agência Brasil