O Carnaval 2020 ainda não acabou para os paulistanos. Segundo a prefeitura de São Paulo, o fim de semana de pós-Carnaval contará com 157 desfiles por toda a cidade. No sábado, 83 blocos vão preencher as ruas. Entre as principais atrações, estão o cantor Bell Marques, que promete lotar o Parque Ibirapuera, e a Banda BaianaSystem, que vai tocar no centro.

O domingo, que contará com 74 blocos, também será agitado no Parque Ibirapuera. O local vai receber a cantora Anitta, pela manhã, e Preta Gil na parte da tarde. Para fechar a folia, O Bloco do Síndico, que homenageia Tim Maia, tocará em Moema, e a cantora Daniela Mercury se apresentará na Consolação. A criançada também tem espaço em blocos como o Fraldinha Molhada, que desfilará no Tatuapé.

É também neste fim de semana que acontece o desfile das escolas de samba campeãs de 2020. O desfile começa às nove horas da noite de sábado, com a Morro da Casa Verde, campeã do Grupo de Acesso dois. Depois, entram na avenida a vice e a campeã do Grupo de Acesso um, Acadêmicos do Tucuruvi e Vai-Vai.

A partir da meia noite, as primeiras colocadas no Grupo Especial – Unidos de Vila Maria, Acadêmicos do Tatuapé, Mocidade Alegre e Mancha Verde – desfilam. A festa é encerrada com a grande vencedora, Águia de Ouro, que entra no Sambódromo do Anhembi às quatro horas da manhã do domingo.

Durante o período de festa, a Polícia Militar tem realizado a Operação Carnaval Mais seguro. Em média, 22 mil policiais civis e militares estão atuando nos dias de folia em todo o estado. Mesmo assim, mais de dez casos de violência foram registrados.

Até agora, duas pessoas morreram: um de 20 anos, durante um arrastão em um dos blocos, e um funcionário público, de 28 anos, que foi esfaqueado e morreu ao reagir a um roubo de celular na dispersão de um desfile. Além disso, durante os blocos, sete pessoas foram baleadas e outras quatro esfaqueadas.

De acordo com a prefeitura, esse foi o maior Carnaval de rua da história da cidade. A expectativa é que 15 milhões de pessoas tenham participado da festa, desde o pré-Carnaval, em 15 de fevereiro, até este domingo.

O Observatório do Turismo da Prefeitura de São Paulo estima que o impacto econômico deste ano deve ser superior ao de 2019, quando 2 bilhões e 300 milhões de reais foram movimentados.

* Com informações da repórter Beatriz Manfredini.