O pré-carnaval começou oficialmente em São Paulo neste final de semana e já deu o tom da folia de 2020. A capital deve atrair 15 milhões de pessoas e movimentar R$ 2,6 bilhões durante os quatro dias do evento.

Os foliões que vierem para a cidade neste período precisam se preparar para a grande concentração de pessoas, mas não devem passar sufoco para conseguir acomodações. O CEO da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, Bruno Omori, ressalta, no entanto, que os turistas do litoral podem enfrentar dificuldades na procura por hotéis. “Ilha Comprida até Ilha Bela, do sul ao norte, teremos mais de 90% de ocupação.”

Por outro lado, Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de São Paulo espera prejuízo para o setor. Os estabelecimentos próximos às rotas dos blocos devem observar queda de 50% no faturamento durante o Carnaval. A competição com ambulantes, a preferência dos clientes por consumir nas ruas e interdições que dificultam o acesso são os principais motivos para a baixa projeção. Os empresários ainda reclamam de depredações, que vão desde as mesas e banheiros até os carros dos clientes.

Na contramão, bares e restaurantes longe de aglomerações podem conseguir aumento de 10% a 20% no faturamento. Estabelecimentos que entrarem na onda do Carnaval com eventos temáticos também devem lucrar acima do esperado.

*Com informações da repórter Nanny Cox