Em meio ao frevo, ao calor típico de Recife e à alegria contagiante dos foliões, o Galo da Madrugada decola na capital pernambucana e aterrissa pela primeira vez na cidade de São Paulo. O maior bloco do mundo desde 1995 apresenta a novidade do Carnaval de rua paulistano e promete tremer a ‘terra da garoa’ no dia 25 de fevereiro com a tradicional cultura do galo. 

O bloco nasceu em 1978, quando cerca de 75 amigos fantasiados de almas penadas uniram forças para recuperar o Carnaval de rua recifense, organizaram um pequeno desfile e percorreram as vias do bairro de São José. O sucesso foi tão grande que se estampou nos anos seguintes, quando a festança não parava de crescer. Em seu 16º aniversário, o Galo da Madrugada reuniu 1,5 milhão de foliões, ganhou reconhecimento internacional e foi consagrado “o maior bloco de carnaval do planeta” pelo ‘Guinness Book’ e desde então mantém o título. 

Cesar Pacci, diretor da Oficina de Alegria, empresa responsável por trazer o bloco para São Paulo, afirmou que não há estimativa de público esperado já que é a primeira edição no sudeste e reiterou que a organização do evento está equacionando as atrações para fazer uma festa bonita tanto em ‘Sampa’, quanto em Recife. O galo original, que mede cerca de 30 metros, não fará parte da festa paulista, mas uma alegoria carregará o animal em versão menor, com 5 metros de altura, pelas ruas da capital. 

“Decidimos trazer o desfile para São Paulo porque enxergamos que o paulistano se tornava uma espécie de desbravador do resto do Brasil durante o mês de fevereiro para curtir o carnaval. Agora isso mudou. A cidade está ganhando uma festa da dimensão que merece”, disse Pacci à Jovem Pan. 

De acordo com a Prefeitura de São Paulo, as inscrições de 796 blocos e 861 desfiles renderam recorde histórico de cadastramentos. A Secretaria Municipal de Cultura afirma que o Carnaval de rua deve movimentar R$ 2,6 bilhões na cidade e atrair cerca de 15 milhões de foliões. 

“Nossa festa acontecerá no Ibirapuera, o local tem capacidade para receber uma enorme quantidade de público. Não teremos problemas para receber todas essas pessoas, estamos jogando muito próximo ao poder público”, Pacci afirmou ao lembrar que a administração municipal está madura e organizada. 

Em referência ao hino do bloco histórico, os paulistanos “verão a manhã surgindo e sol clareando a cidade com seus raios de cristal”. Mas nem todos os brasileiros terão a mesma sorte. Segundo Pacci, até o momento não há projetos para levar o Galo para outros estados. “O plano oficial é entregar uma festa linda e organizada à São Paulo, levar alegria e cultura ao público. Um passo de cada vez”, concluiu.