Pular para o conteúdo

Vendas de etanol direto para os postos não terá o impacto imaginado pelo governo

Vendas de etanol direto para os postos não terá o impacto imaginado pelo governo

O presidente Bolsonaro declarou que venda direta de etanol das usinas para os postos deverá baratear o produto. Consultando especialistas a conclusão que chego é de que não terá impacto e não irá baratear preços na bomba. Ao contrário, como me falou Plinio Nastari, presidente da Datagro, que é o representante da sociedade civil no plano Renovabio, o que mais bem faria ao setor seria diminuir o “passeio do etanol” saindo da usina, indo até a distribuidora e voltando para os postos próximos.

E isso seria feito com a chamada venda à ordem, onde a usina fatura para a distribuidora e entrega no posto. E da mesma forma Plinio Nastari afirma que qualquer usina poderia ter uma distribuidora abrindo um CNPJ, ou seja, esse definitivamente não é o problema.

Maurílio Biaggi, um líder do setor sucroalcooleiro, entende com anos de sabedoria que essa ideia não se tornará eficaz, e que o setor precisa, sim, de cada vez maior aprimoramento tanto das usinas quanto das distribuidoras, elos de uma corrente para serem aperfeiçoados.

A Unica – União Nacional da Indústria Canavieira em seu posicionamento afirma: “a venda direta vai ficar concentrada em uma parcela pequena do mercado, sendo realizada aos postos de combustíveis das usinas e de bandeiras brancas, ou seja, impacta apenas 5% do mercado. A Unica prevê também que não vai haver alteração alguma na atual estrutura de custos. E ainda acrescenta que o produtor nesse caso não poderá emitir Cbios para aquele volume vendido diretamente – o crédito Renovabio.

Conclusão, não está na aprovação, na semana passada pela Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados a venda direta usinas e postos de gasolina a solução dos problemas do setor e do país.

José Luiz Tejon para Jovem Pan.

 

%d blogueiros gostam disto: