Pular para o conteúdo

Produtor inteligente não dá chances ao acaso

Produtor inteligente não dá chances ao acaso

Tem gente surfando na bolha de uma euforia em meio a pandemia. A soja a três dígitos, como nunca esteve, as carnes, o leite e até o sacrificado de décadas o arroz, estão com preços como nunca dantes vistos. Então estou vendo que tem gente inteligente com os pés no chão e o planejamento estratégico de longo prazo funcionando.

Lá de Sorriso, Mato Grosso, falei com o agricultor Rodrigo Pozzobon, delegado da Aprosoja, Associação de Produtores de Soja, mas que diversifica e inova. Ele me disse ter uma fazenda de 2.350 hectares e tem 418 ha de pivôs de irrigação. Quer dizer, ele tem água.

O foco do Rodrigo é rentabilidade. E ele acrescenta “muitos produtores focam em faturamento o que é errado”. O Rodrigo considera diversificação o ponto fundamental da gestão, não é produtor de um só grão. Ele planta soja, milho. Arroz e feijão. E com essa irrigação ele não para e planta o ano todo. Ele trava o custo, vende antecipado, e decide o mix de produtos conforme as visões de mercado. Soja, milho, arroz e feijão com parte irrigada.

O novo produtor que vai ao futuro é uma fábrica de alimentos e de saúde. Inovação e diversificação com sustentabilidade. E além disso, o Rodrigo de Sorriso, também pensa em como verticalizar alguma coisa. Fiquem de olho na lei do acaso. Não sabemos como será o final do ano. O novo ano. Produtores rurais, minimizem o risco. Uma boa hora para fazer isso.

Sorriam como o Rodrigo de Sorriso, Mato Grosso, mas com segurança.

José Luiz Tejon para Jovem Pan.

%d blogueiros gostam disto: