Pular para o conteúdo

O que o Brasil ainda não entendeu sobre agronegócio!

O que o Brasil ainda não entendeu sobre agronegócio!
Ney Bittencourt de Araújo

Nesta semana celebramos o 84º aniversário do criador do conceito de agronegócio no Brasil, Ney Bittencourt de Araújo. Ney continua nos inspirando como nunca. Foi buscar esses conhecimentos na universidade de Harvard, lá nos anos 70, com o professor Ray Goldberg. Este professor, hoje com 93 anos, e que mais do que nunca continua nos inspirando e educando.

No PENSA, Programa de Estudos dos Negócios do Sistema Agroindustrial, da mesma forma o prof. Décio Zylberstayn, no início dos anos 90, reenfatizava o que agronegócio, tradução de agribusiness queria e quer muito mais agora dizer até do que antes. Lá continua o professor Cláudio Pinheiro Machado, hoje ensinando o que muitos ainda não entenderam o que agronegócio é o que será doravante.

Agronegócio é a soma total de tudo o que envolve a originação dos alimentos, energia, fibras, ou seja, tudo da agropecuária. Com suas cooperativas. Mas tem muito mais. A ciência, tecnologia, do que os pesquisadores desenvolvem para a agropecuária com as redes de distribuição, cerealistas e consultores. E tem outro big brother, irmão grandão todas as indústrias, o comércio, os serviços que acontecem com aquilo que sai das porteiras das fazendas, represas da piscicultura, essências, árvores, flores e, atenção, tchan tchan tchan, meio ambiente. Sim. A saúde do planeta passou a contar nas contas do agribusiness e o professor Ray Goldberg, em Harvard, afirma “…agora meio ambiente e medicina, saúde humana faz parte desse sistema…um health system”. Bem vindos nutricionistas.

Então ou o Brasil, um país de agronegócio, pois tem uma agroindústria também valorosa ao lado dos produtores rurais entende isso, ou não nos entenderemos e nem seremos entendidos doravante. Agronegócio vai dos memes das percepções das mentes de consumidores finais até a mente criadora dos geneticistas, biólogos, pesquisadores, engenheiros, professores, e todo pessoal de TI, passando pelos novos agricultores, legítimos guardiões dos seus microbiomas, cada vez mais “designers” de processos e sistemas. E que para isso devem, sim, ser muito mais protegidos e valorizados também.

Agro brasileiro para de comprar briga perdida. Vamos ao futuro, vender muito mais. Vamos partir para cima do futuro e não viver embaixo do passado. Ney Bittencourt de Araújo, muito obrigado, sua memória viverá para sempre no verdadeiro agro brasileiro e em nossos corações.

José Luiz Tejon para Jovem Pan.

 

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: