Pular para o conteúdo

O estrago na imagem do agro brasileiro no mundo é brutal. Moratória de 120 dias contra queimadas é fundamental.

O estrago na imagem do agro brasileiro no mundo é brutal. Moratória de 120 dias contra queimadas é fundamental.

Com pressões internacionais e um documento assinado por 38 gigantes do agronegócio, além de 4 entidades representativas de centenas de empresas, um manifesto foi levado ao vice-presidente Hamilton Mourão, também presidente do Conselho Nacional da Amazônia pedindo o fim do desmatamento ilegal e o resgate da imagem mundial do Brasil no aspecto do meio ambiente e da sustentabilidade.

O governo deverá decretar nos próximos dias uma moratória total das queimadas pelo período de 120 dias. Esta moratória proíbe as queimadas legalizadas e significa também repressão incondicional às ações ilegais. Tanto na Amazônia, com 21% de aumento neste ano sobre o ano passado, quanto no pantanal.

Empresas gigantescas e entidades entendem ser vital para o futuro do país colocar lei e ordem na questão ambiental, sem o que iremos promover concorrentes em outras áreas do planeta e abandonaremos o comando da nossa própria história.

Marcello Brito, presidente da Associação Brasileira de Agronegócio (Abag), disse “ser fundamental aprendermos a negociar e gerenciar a partir de um consumidor cada vez mais consciente que espera responsabilidade total desde a originação”.O presidente da Cargill, líder mundial no comércio de alimentos, Paulo Sousa disse: “o estrago que estamos fazendo na imagem do agronegócio brasileiro lá fora é brutal, e não podemos deixar que nada estrague a parte mais vibrante da economia brasileira que levou mais de 30 anos para conquistarmos”.

Moratória contra o fogo na Amazônia, com pequenas exceções como agricultura de subsistência e controle fitossanitário desde que autorizadas.

A Hora do Agronegócio, hora da Amazônia respirar.

José Luiz Tejon para a Jovem Pan.

%d blogueiros gostam disto: