Pular para o conteúdo

Renovabio e sua importância para o desenvolvimento sustentável do Brasil

Fonte: Divulgação Renovabio
Renovabio e sua importância para o desenvolvimento sustentável do Brasil

Qual a importância do programa Renovabio para o desenvolvimento sustentável do Brasil? A própria pergunta define a resposta. Renovabio é uma ideia colocada em prática fundamental para a sustentabilidade em todos os aspectos, pois como chega direto na frente do cidadão, consumidor final, Renovabio envolve também consciência e educação da sociedade.

No Cosag – Conselho Superior do Agronegócio da Fiesp hoje uma reunião extraordinária irá envolver o assunto Renovabio, o Plano Brasileiro de Energia Renovável. Evandro Gussi, diretor da Unica, ao lado de André Nassar, da Abiove, Aurélio Amaral, diretor da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, Marcelo Boechat, da Embrapa Meio Ambiente, deputado Arnaldo Jardim, dentro outros especialistas estarão lá debatendo o assunto.

Renovabio é um plano muito bem construído com objetivos para dobrar a oferta e o consumo do biocombustível no país é também um projeto inspirador para todas as demais cadeias produtivas. Assistimos no Renovabio uma reunião do setor privado com o público e uma condução exemplar feita por Plínio Nastari, um brasileiro com conhecimento, isenção e reputação, consultor designado para alinhavar este plano.

Países produtores de petróleo ricos e abundantes no combustível fóssil com reservas para mais de 400 anos, mesmo esses países já perseguem e investem em inovações no setor de fertilizantes, por exemplo, que não sejam originados no petróleo. Da mesma forma têm consciência para o inevitável abandono do recurso fóssil por outros de origem eólica, solar e agrícolas e fazem acordos de estudo com a Embrapa, por exemplo. O fóssil quer casamento com o verde.

Carro elétrico vem aí e o elétrico que transforma etanol em eletricidade seja percebido como efetivamente sustentável porque não irá consumir energia originada em usinas, movidas a óleo diesel, carvão e sim renováveis. Renovabio foi bem construído mas isso não basta. Precisa ter vigilância e uma luta permanente para não seja desviado e com isso arruinada uma ideia brilhante de construção de riquezas e acima e, além disso, uma demonstração de como a sociedade civil organizada pode, doravante, erigir um destino com visões de longo prazo e comandando o horizonte público e político que hoje anda extremamente conflituoso, polarizado e estimulando ao máximo o reino das incertezas em um planeta riquíssimo já naquilo que é incerto.

Renovabio em debate hoje no Conselho Superior do Agronegócio Fiesp-Cosab em São Paulo.

A “Hora do Agronegócio, alimentos e bioenergia”.

José Luiz Tejon, para Jovem Pan.

%d blogueiros gostam disto: